Portugal
Juiz esclarece três argumentos que Conceição usa para tentar suspender castigo
Redação
2021-05-04 10:30:00
Nogueira da Rocha diz que técnico portista terá convencer TAD com três requisitos

Sérgio Conceição encontra-se a cumprir uma suspensão decretada pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol mas o FC Porto acredita que ainda será possível contar com o técnico no banco dos suplentes no Estádio da Luz, na próxima quinta-feira, no sempre escaldante e palpitante clássico entre os rivais portistas e benfiquistas. Para tal, o técnico dos dragões tentará convencer Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) com base em três argumentos, explicados por João Nogueira da Rocha, especialista em Direito Desportivo, que desempenha funções como juiz no Tribunal Arbitral do Desporto de Lousanne, o TAS.

Apresentada uma providência cautelar, que tenta suspender o castigo aplicado pelo Conselho de Disciplina, Nogueira da Rocha salienta que o TAD irá avaliar o documento e perceber se há três situações aplicáveis. A primeira, explica, é a "probabilidade séria da existência do direito invocado", sendo uma segunda o "fundado receio de que antes da ação ser proposta exista uma lesão grave, ou seja, que quando o recurso fosse decidido já tenham passado os 21 dias de suspensão" e, por fim, "não ser este prejuízo resultante de providência superior ao dano que se pretende evitar".

Nogueira da Rocha entende que se estes três requisitos estiverem detalhados e convençam o TAD, nesse cenário, Sérgio Conceição poderá ver o castigo ficar suspenso e, aí, já poderá marcar presença no banco da Luz.

Em declarações na Renascença, Nogueira da Rocha explica que, ao contrário do que se possa pensar, o caso de Sérgio Conceição não poderá ser analisado como foi o do sportinguista João Palhinha que, depois de ficar suspenso pelo Conselho de Disciplina, acabou por avançar com uma providência cautelar que acabaria por lhe permitir suspender o castigo.

No caso do médio leonino, explica Nogueira da Rocha, a situação "não previa a audiência prévia do infrator" e por isso acabou o regulamento por ser alterado e, atualmente, "está prevista a audiência do interessado".

Sérgio Conceição tem estado a cumprir o castigo e, depois do empate em Moreira de Cónegos, onde foi expulso quando se dirigiu ao árbitro Hugo Miguel, não mais falou publicamente, estando, por estes dias, em  ‘blackout’.

O treinador do FC Porto falhou a conferência de imprensa de rescaldo do embate em Moreira de Cónegos, já depois de não ter ido à zona de entrevistas rápidas do operador que transmitiu o jogo. Também optou por não fazer o lançamento em conferência de imprensa do jogo frente ao Famalicão e a consequente conferência de imprensa de rescaldo do embate vencido pelos portistas sobre os famalicenses.

Para lá dos 21 dias de suspensão que lhe foram aplicados, o portista Sérgio Conceição foi também punido com uma multa de 10.200 euros na sequência da expulsão em Moreira de Cónegos.

Se o TAD não lhe der razão e mantiver a suspensão, Sérgio Conceição vai perder todos os jogos do FC Porto até final da época com exceção da última jornada, na qual já poderá marcar presença no banco dos suplentes.