Portugal
"Jornalistas que falem em alemão, perguntem em alemão a Schmidt"
2024-02-26 15:45:00
"Em comparação com os outros treinadores, ao Schmidt são sempre perguntas muito mais complicadas", diz Diamantino

Roger Schmidt não tem feito algumas conferências de imprensa que tradicionalmente eram realizadas mas, face ao calendário denso, e às frequentes aparições do técnico por conta do calendário, o Benfica não tem promovido algumas das conferências de imprensa. Isso tem gerado muita conversa em programas e com alguns comentadores a saírem em defesa de Schmidt e outros criticando-o, salientando-se, por exemplo, que a ausência de Schmidt "não incomoda nada adversários nem jornalistas".

Diamantino Miranda, antigo capitão do Benfica, diz que gosta de ouvir os treinadores a falar sobre o jogo, quer antes, quer depois, mas sublinha que dá para notar que as perguntas colocadas por jornalistas ao técnico dos campeões nacionais são "mais complicadas" tendo por comparação com as que são colocadas a "outros treinadores".

"As perguntas dos jornalistas, todas elas, deverão fazer, não há perguntas fáceis, nem difíceis. O treinador depois só responde se quiser, e todas as perguntas são legítimas. Mas há uma coisa que também temos que reconhecer. É que desde o problema de Roger Schmidt com a imprensa [quando os jornalistas entenderam colocar questões em português e Schmidt acabou por não falar na sala de imprensa porque não havia tradutor], as perguntas ao Roger Schmidt em comparação com os outros treinadores, são sempre perguntas muito mais complicadas do que põe aos outros treinadores", disse Diamantino Miranda.

Diamantino dá conselho jornalistas para conferências com Schmidt

Em todo o caso, o antigo internacional português vincou que gosta de ouvir o treinador. "Eu não gosto, e já o disse aqui várias vezes, porque acho que as pessoas, não só benfiquistas, gostam de saber as opiniões dos treinadores antes e depois dos jogos."

Além disso, Diamantino Miranda salientou ainda, na CMTV, que desconhece as razões que motivam o Benfica a não fazer conferências neste ciclo mais denso de jogos do clube.

"Não sei se é uma decisão pessoal de Roger Schmidt, se é uma decisão da Direção do Benfica. Não faço a mínima ideia", referiu ainda Diamantino Miranda, realçando que as pessoas têm de reconhecer que Roger Schmidt "tem alguma razão" na questão do eventual confronto com alguma imprensa nacional.

"Falem em alemão, perguntem em alemão", aconselhou ainda o antigo capitão do emblema das águias Diamantino Miranda.

"Há uma tendência de alguns jornalistas, não todos", sustentou ainda Diamantino Miranda, que, em sua opinião, destacou que "desde aquela altura é que há algumas perguntas que são mais difíceis de responder e que não são feitas a outros treinadores".

"Não sei se é por causa da logística das salas de imprensa", defendeu ainda, acreditando que se vai notando que parece ser mais "difícil" confrontar alguns treinadores que são "arrogantes" na sala de imprensa. Mas a "legitimidade" das questões "tem de existir sempre".