Portugal
"Isto arrasa os polícias do gosto" que têm "dor de cotovelo" do Sérgio Conceição
2020-09-30 11:40:00
Vítor Oliveira deixou elogios a Conceição e disse que nem sempre se dá o mérito devido ao técnico dos dragões

O diretor de comunicação do FC Porto enalteceu Vítor Oliveira por ter admitido que "não se tem dado o devido valor ao Sérgio Conceição" e "não valorizaram o título do FC Porto".

"O Vítor Oliveira é um treinador acima de qualquer suspeita, o rei das promoções e com trabalho feito na I Liga durante anos. Isto, arrasa, arrasa, os polícias do gosto", comentou Francisco J. Marques, em declarações no programa Universo Porto do Porto Canal.

O diretor dos azuis e brancos considerou ainda que, em Portugal, "há dificuldades em lidar com o sucesso do Sérgio Conceição e do FC Porto".

"É dor de cotovelo", disse Francisco J. Marques, referindo que a "equipa de ponta em Portugal, nos últimos anos, é o FC Porto do Sérgio Conceição", referindo que isso se tem traduzido na conquista de títulos e na forma de jogar nos relvados.

De seguida, o diretor dos azuis e brancos aproveitou para falar das prestações do FC Porto na Liga dos Campeões. E aproveitou para deixar reparos às participações na Liga milionária de outros emblemas lusos.

"Uns gostam de propalar a hegemonia e depois as participações na Champions são o que são", disse, em alusão ao rival Benfica, que nesta temporada ficará de fora da mais emblemática competição de clubes do 'velho continente'.

Francisco J. Marques aproveitou também a presença no programa do Porto Canal para criticar a ausência de público nas bancadas dos estádios de futebol.

O diretor dos azuis e brancos com responsabilidade na área da comunicação lamentou aquilo que chama de "discriminação" que o futebol tem sido alvo por parte das entidades governantivas e de saúde no contexto pandémico.

Francisco J. Marques lamentou que os políticos não tenham "preconceito" com o futebol quando aparecem nos momentos de glória dos clubes.

"Só não há preconceito com o futebol quando é para retirar dividendos políticos. Aí nunca há preconceitos", atirou Francisco J. Marques, recordando o momento em que as mais altas autoridades do Estado anunciaram a presença da final a oito da Champions em Lisboa.

"Nós vimos a patética cerimónia para anunciar a Champions em Lisboa."