Portugal
Istambul Basaksehir: uma equipa de milhões apoiada por estudantes contestatários
Mauro
2017-08-25 17:10:00
Fundado em 1990 por um projeto municipal, o Başakşehir tem hoje um grupo de jogadores "batidos" e de rico curriculum

Inter Milão, Arsenal, Manchester City, Tottenham, Atlético Madrid, Paris Saint-Germain SSC Nápoles e Real Madrid são alguns dos clubes que podemos encontrar no histórico dos jogadores do Istambul Başakşehir, um dos adversários do SC Braga na Liga Europa. O que é curioso, pois trata-se de um clube com uma massa adepta muito reduzida, composta na sua maioria por estudantes contestatários e que foi fundado, em 1990…pelo município de Başakşehir.

É inevitável fugir ao cliché dos ambientes “infernais” quando se fala em estádios de futebol turcos repletos de fervorosos e fanáticos adeptos, mas a realidade nem sempre se encontra com o nosso imaginário e é esse o caso do Istambul Başakşehir que é conhecido pelas fracas assistências no novo estádio, construído há dois anos, com capacidade para 17 mil lugares, escassamente ocupados pelos adeptos maioritariamente estudantes que decidiram apoiar o pequeno clube como forma de protesto.

Foi esta a forma, apoiar uma equipa menor, que estes estudantes contestatários encontraram para protestar contra a violência nos estádios de futebol onde normalmente atuavam os grandes clubes como Fenerbahçe, Besiktas, Galatasaray e Trabzonspor e que levou à proibição de adeptos se deslocarem aos jogos fora durante cinco anos. A forma despreocupada como estes adeptos encaravam os jogos não fazia prever o sucesso da equipa que beneficiou de um ambiente sem pressão para ir melhorando época após época até tomar de assalto os lugares cimeiros da Liga Turca.

O clube surpreendeu o país do futebol quando, na temporada passada, conseguiu manter, por semanas a fio, a liderança do campeonato discutindo-o até bem perto do fim com o Besiktas que acabaria por se sagrar bicampeão. O campeonato perdeu-se, mas o Istambul Başakşehir ganhou o título de equipa sensação, um lugar na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões e a admiração dos adeptos europeus mais atentos ao fenómeno futebolístico.

O surpreendente feito foi suportado por um conjunto de jogadores com uma vasta experiência no futebol europeu. Futebolistas que passaram pelos campeonatos mais competitivos da Europa e que aturam mesmo em clubes de topo. É o caso, por exemplo, do capitão Emre Belozoglu que aos 36 anos conta com passagens por clubes como o Inter Milão e o Atlético Madrid. Também em Madrid, mas ao serviço do Real esteve Emmanuel Adebayor, o avançado, que para além do clube espanhol jogou em clubes do calibre de Arsenal, Tottenham e Manchester City.

Gael Clichy – lateral-esquerdo - chegou neste defeso depois de cumprir grande parte da carreira no Arsenal, num primeiro momento e Manchester City depois. Pela Juventus passou o atacante holandês Eljero Elia e chegou a Instambul esta época, tendo mesmo já marcado quatro golos em apenas seis partidas realizadas esta temporada. Há ainda Mevlut Erdinc, que foi em tempos tido como um dos melhores avançados do futebol turco tendo cumprido três épocas com a camisola do Paris Saint-Germain.

É com base na experiência de jogadores como Márcio Mossoró, antigo médio do SC Braga, que o clube fundado em 1990, nascido de um projeto municipal, vai encarar a época 2017/18 onde se vai encontrar com o conjunto minhoto, o Ludogorets da Bulgária e o TSG Hoffenheim da Alemanha na fase de grupos da Liga Europa já depois de ter ficado pelo caminho no paly-off de acesso à Liga dos Campeões.

Este será, aliás, um grupo bastante equilibrado onde, por ventura, destacar-se-á o conjunto alemão que provém de uma realidade orçamental completamente distinta dos demais. Segundo os dados do site “Transfermarkt”, o plantel do TSG Hoffenheim está avaliado em cerca de 118 milhões de euros, muito acima dos 45 milhões em que está avaliado o conjunto do PFK Ludogorets e dos 54 milhões do SC Braga. O conjunto que mais se aproximará dos alemães, em termos de valor de mercado do seu plantel é mesmo o conjunto turco, que está avaliado em 70 milhões de euros.

Da Bulgária virá, em teoria, o adversário mais acessível para o conjunto português, até porque perdeu uma das principais referências ofensivas: Jonathan Cafú, o ponta-de-lança brasileiro de quem se falou que poderia estar a caminho do Sporting e que acabaou por assinar pelo Girondins Bordéus da Liga Francesa.

 

PFK Ludogorets (Bulgária)
Lugar no ranking: 50.º

Palmarés: cinco Ligas da Bulgária, duas Taças da Bulgária e uma Supertaça da Bulgária.

Treinador: Georgi Dermendzhiev

Onze Base: Broun; Sasha, Plastun, Moti, Nataneal; Dyakov, Abel, Wanderson, Marcelinho, Quixadá; Keseru.

Posição na Liga: 2.º (4 vitórias, 1 empates, 0 derrotas)

 

TSG Hoffenheim (Alemanha)
Lugar no ranking: 125.º

Palmarés:

Treinador: Julian Nagelsmann

Onze Base: Baumann; Kaderabek, Nordtveit, Huebner, Vogt, Zuber; Kramaric, Geiger, Demirbay, Gnabry; Wagner

Posição na Liga: 8.º (1 vitórias, 0 empates, 0 derrotas)

 

Istambul Başakşehir (Turquia)
Lugar no ranking: 152.º

Palmarés: um Campeonato da Segunda Liga da Turquia.

Treinador: Abdullah Avci

Onze Base: Babacan; Caiçara, Attamah, Epureanu, Clichy; Emre, Tekdemir, Visca, Mossoró, Elia; Adebayor

Posição na Liga: 11.º (1 vitórias, 0 empates, 1 derrotas)