Portugal
"Investidores internacionais dizem que Sporting espetou calote a um banco"
2024-01-17 10:40:00
"O Benfica também já teve perdões fiscais", afirma empresário próximo da SAD portista João Rafael Koehler

O empresário nortenho João Rafael Koehler tem vindo a trabalhar de perto com a SAD portista e confessou que em algumas reuniões com investidores estrangeiros tem sentido que estes não têm vontade de fazer negócios com o Sporting porque o clube de Alvalade "espetou um calote a um banco". 

"Quando entramos em salas com investidores internacionais e nos dizem que não fazem operações financeiras com o Sporting porque espetou um calote a um banco...", referiu João Rafael Koehler, visando um dos temas do momento nos corredores do futebol nacional mas também da alta finança, na sequência da recompra dos Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis (VMOC).

"Não fazem operações financeiras com o Sporting porque espetou um calote a um banco"

Por outro lado, João Rafael Koehler assegura que o vizinho leonino, o Benfica, também não deveria tecer muitos comentários a respeito deste tema relacionado com o Sporting.

"O Benfica também já teve perdões fiscais", afirmou João Rafael Koehler, em declarações ao Jornal de Notícias, sustentando que a SAD do FC Porto enfrenta problemas financeiros porque tem de lidar com despesas e negócios.

"O FC Porto paga todas as suas contas", assegurou João Rafael Koehler, ele que admitiu apoiar Pinto da Costa, se o presidente do FC Porto avançar para nova recandidatura à presidência dos dragões, visto que, em seu entender, o FC Porto "precisa de renovação mas deve preservar Pinto da Costa".

Operações financeiras do Sporting com bancos colocadas em causa por rivais

Por isso, o empresário João Rafael Koehler não antecipa comentários a respeito da candidatura de André Villas-Boas, mas realça, contudo, que "é curioso esse tipo de críticas surgir quando o alter ego do André será o Antero Henrique".

"Como dizia o Sérgio Godinho 'isto anda tudo ligado'", apontou João Rafael Koehler, um dos empresários mais reputados da zona norte do país que tem estado próximo da atual administração portista.

A respeito deste tema, em defesa do Sporting, Carlos Barbosa da Cruz, ex-dirigente leonino e atual presidente do Grupo Stromp, já disse que "não houve nenhuma ajuda de terceiros, nenhum subsídio oficial".

"O Sporting negociou com entidades privadas", disse o advogado, há poucas semanas, na Renascença, onde deu uma 'alfinetada' ao FC Porto por conta da utilização do centro de treinos do Olival, em Vila Nova de Gaia.

"Favorecimento existe quando estamos a falar de entidades públicas, o Sporting negociou com entidades privadas. Isto não é pagar 500 euros pelo centro de estágios do Olival. Isso, sim, é que é um caso chocante de ajudas públicas", salientou Carlos Barbosa da Cruz.