Portugal
"Há quem esteja empenhado em desgastar a figura do Villas-Boas e do treinador"
2024-06-08 10:30:00
"O eleitoralismo ainda não passou no FC Porto", observou o antigo dirigente do Sporting Barbosa da Cruz.

A época terminou e, é certo, que o recente triunfo na Taça de Portugal trouxe uma breve alegria ao FC Porto, mas o estado de felicidade não durou muito no Dragão e desencadeou uma crise interna que deixa um sentimento de preocupação entre os adeptos portistas sobre o futuro financeiro e desportivo do clube azul e branco.

Com a promoção de Vítor Bruno, até então adjunto e braço-direito de Sérgio Conceição, a treinador principal, o clube da Invicta navega por águas incertas, enquanto tenta manter a competitividade e a estabilidade.

A época 2023/2024 será lembrada pelos adeptos portistas e pelos analistas tanto pelos triunfos em campo como pelas tensões nos bastidores do Dragão.

A conquista da Taça de Portugal foi um dos pontos altos da temporada, proporcionando aos adeptos uma alegria momentânea, contudo, a tensão subjacente nos corredores do clube foi-se intensificando, culminando na saída de Sérgio Conceição.

"Há uma oposição no FC Porto e chama-se Sérgio Conceição. É o porta-estandarte"

O experiente treinador português, que durante sete anos liderou o FC Porto, viu a sua passagem pelo clube da Invicta terminar de forma abrupta e controversa. Com vários troféus no museu do clube, a saída de Sérgio Conceição foi acompanhada de promessas de revelar os bastidores dos seus últimos dias no Dragão.

Esta decisão de deixar sair o treinador mais titulado da história do FC Porto e promover Vítor Bruno a treinador principal, está a ser vista por várias figuras ligadas aos azuis e brancos como uma tentativa da nova SAD portista, encabeçada por Villas-Boas, de manter a continuidade e estabilidade na equipa.

Ora, o momento que faz agitar novamente as águas do Dragão não passou despercebido a Carlos Barbosa da Cruz, antigo dirigente dos leões e atual presidente do Grupo Stromp.

Em declarações na CMTV, o sócio leonino destacou que neste momento o FC Porto vive um clima de 'oposição', que tem tido como figura central o ex-técnico dos dragões, Sérgio Conceição, apelidando o treinador português de 'porta-estandarte'.

"Neste momento, há uma oposição no FC Porto e essa oposição chama-se Sérgio Conceição. É o porta-estandarte", começou por comentar o antigo dirigente do Sporting, antes de apontar à principal razão para todo o comportamento do técnico. Segundo Barbosa da Cruz, o 'eleitorismo' ainda se econtra longe da Invicta.

"Todo este comportamento só é compreensível à luz de um objetivo: fragilizar, erodir. O eleitoralismo ainda não passou no FC Porto", criticou o atual presidente do Grupo Stromp.

O comentador afeto ao clube verde e branco não hesitou em afirmar, que perante toda a situação que assola o futuro imediato do clube, há quem esteja mais interessado em desagastar a figura de Villas-Boas e a do futuro treinador dos dragões, Vítor Bruno, do que no sucesso desportivo da equipa.

"Há quem esteja, direta ou indiretamente, empenhado em desgastar a figura do presidente e a figura do treinador", defendeu o antigo dirigente dos leões.

A saída de Sérgio Conceição, depois de sete época e de muitos troféus conquistados, foi marcada por controvérsia e acusações mútuas. Para Barbosa da Cruz, a atitude de André Villas-Boas de convidar Conceição a sair por cima foi correta, mas a falta de uma saída limpa por parte do ex-técnico dos dragões deixou marcas e alimentou a instabilidade no clube azul e branco.

"O André Villas-Boas fez aquilo que tinha de fazer. Acho que o André Villas-Boas teve uma atitude certa a convidar o Sérgio Conceição a sair por cima, homenageado com os troféus que ganhou pelo FC Porto. E acho que, claramente, Sérgio Conceição falhou a ‘saída limpa’ do FC Porto", rematou Carlos Barbosa da Cruz.

Neste cenário de transição e incerteza, o FC Porto enfrenta desafios não apenas desportivos, mas também de gestão e coesão interna. A capacidade de Vítor Bruno em liderar a equipa nestes tempos turbulentos será posta à prova, enquanto o clube luta para manter-se competitivo e recuperar a estabilidade perdida.

A temporada 2023/2024 será lembrada não apenas pela conquista da Taça de Portugal, mas também pela agitação nos corredores do clube. A conquista da Taça de Portugal, embora momentaneamente gratificante, não foi suficiente para dissipar as crescentes tensões internas.

A saída de Sérgio Conceição, anunciada de forma repentina, abriu espaço para especulações e promessas de revelações sobre os bastidores do clube.

Com Vítor Bruno a assumir o comando técnico dos dragões, a pressão sobre os ombros do novo treinador será intensa. A continuidade e o sucesso desportivo do FC Porto estão em jogo, enquanto o clube enfrenta um período de reestruturação e adaptação à nova realidade pós-Conceição.