Portugal
"Há qualquer coisa muito obscura. Muito, muito, muito, muito. Investigue-se"
Redação
2020-08-04 15:10:00
Presidente do Aves revoltado com recentes acontecimentos no clube

António Freitas, presidente do Desportivo das Aves, está desconfiado das razões que a SAD terá para não ter metido recurso ao veto de inscrição nas competições profissionais da próxima época.

Após a confirmação dada hoje por Estrela Costa, acionista da empresa gestora da SAD, de que não tinha sido encaminhado qualquer recurso da decisão, António Freitas pede que o caso seja investigado.

"Estou a pensar que eles já nem aparecem mais aqui no clube. Não sei o que é que eles estão a preparar. Há qualquer coisa muito obscura. Muito, muito, muito, muito, muito! Por isso é que eu tenho dito: investigue-se! Quem não deve não teme", afirmou António Freitas, em declarações à Renascença.

O presidente do clube, que já garantiu que, recentemente, Antero Henrique indicou um investidor para salvar o Aves mas "não quiseram", teme pelo futuro do clube de Santo Tirso.

"O que eu posso dizer é que isto me deixa assustado. Porque, mesmo para jogar no Campeonato de Portugal, que é organizado pela Federação Portuguesa de Futebol, também é preciso ter os pressupostos", realça António Freitas.

O presidente do clube lança um apelo para que o clube não acabe a jogar os distritais.

"Será que eles querem que o Aves vá para o distrital? Por amor de Deus! É preciso que os sócios do clube saibam que eu estou abandonado por eles, não falam comigo".

Uma vez que não recorreu da decisão da Comissão de Auditoria da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, o Aves irá para o Campeonato de Portugal. Porém, nem essa vaga poderá estar garantida se não forem cumpridos os pressupostos exigidos.