Portugal
"Gostava que não tivessem agarrado o Conceição quando entrou no túnel"
Redação
2021-03-25 13:15:00
"O árbitro não escreveu o que viu porquê?", questiona Octávio Machado

As imagens da confusão entre Sérgio Conceição e Paulo Sérgio são "feias" e as coisas "descambaram", naquilo que é a leitura de Diamantino Miranda, antigo capitão do Benfica, que, com algum humor à mistura, diz que gostaria que "não tivessem agarrado Sérgio Conceição" no momento em que o treinador do FC Porto "entrou no túnel" de acesso aos balneários do estádio em Portimão.

"Aquilo que vimos não é muito normal. Em jeito de brincadeira, porque existe no futebol este tipo de brincadeiras, gostava que não tivessem agarrado o Sérgio Conceição quando entrou no túnel", comentou Diamantino Miranda, não se alongando em comentários sobre as razões que o levavam a dizer tal coisa.

Para o antigo internacional português "as imagens são feias" e realça que era bom que quem começou ficassem com a indicação de que tem mais responsabilidades no caso.

"Cada um tem o seu caráter e feitio. Não sei quem provocou primeiro e quem o fez tem maior responsabilidades. As coisas descambaram".

Diamantino Miranda referiu que compreende que com as bancadas vazias muita coisa se ouve que, porventura, anteriormente não se via. Ainda assim, considera que nem tudo é justificável.

"Já ouvi dizer que a culpa é de não haver público nos estádios. Os diálogos entre os treinadores são normais. Pode haver um excesso ou não. Não havendo público as coisas são mais audíveis e percebemos a linguagem que se utiliza. Agora, não é normal, por muito que me venha dizer, é dois treinadores envolverem-se de banco para banco".

O antigo capitão encarnado, atualmente treinador e comentador, disse que estas situações não podem ser encaradas com normalidades.

"Nunca tive nada que ver com o que o outro treinador discutia com o árbitro. Acho que não é normal. Há uma coisa que o caráter não pode ultrapassar, por muito caráter que se tenha, que são as regras. As regras são para se cumprirem. Estar frequentemente a transgredir não é bom", afirmou Diamantino Miranda, em comentário na CMTV sobre este caso que também foi comentado por Octávio Machado que virou agulhas contra a arbitragem e os relatórios.

"Abrem um inquérito. O árbitro não escreveu o que viu porquê? O quarto árbitro ouviu o diálogo e não escreveu porquê? Porquê? Estão à espera que o delegado da Liga, a força policial façam relatórios? Eles não viram? Não estavam lá? Lamento profundamente. Mais uma vez os árbitros não têm coragem de escrever aquilo que viram e ouviram. Passaram a batata quente para daqui a seis, sete, oito, nove meses."

Para o antigo treinador de Sporting e FC Porto, entre outros clubes, "há um excesso verbal que todos ouviram". "O quarto árbitro ouviu. Tem de colocar no relatório e participar ao árbitro, desculpem lá."

Octávio Machado referiu ainda que cada um reage à sua maneira mas entende que há situações que não se podem passar num estádio.

"O Sérgio tem a sua maneira de ser e estar. Ponto. Como eu tenho e outros. Como o Jesus tem. Aquilo das bocas e da linguagem... agora o resto é que está a mais. Isso é que está a mais. As bocas acontecem. Há expressões que saem no calor. O que acontece em seguida é que é pior", disse Octávio, voltando a perguntar pelo relatório do quarto árbitro.

"O quarto árbitro não estava lá?", interrogou o ex-técnico dos dragões.

Os treinadores do FC Porto, Sérgio Conceição, e do Portimonense, Paulo Sérgio, foram multados e alvos de processos disciplinares, anunciou o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Na base da decisão do CD estão os incidentes ocorridos entre os dois técnicos, após terem sido expulsos no decorrer da segunda parte do jogo de domingo, a contar para a I Liga, que os dragões venceram por 2-1.

Além dos processos disciplinares instaurados, Sérgio Conceição foi multado em 2.040 euros, enquanto Paulo Sérgio foi punido com 408 euros.

O desentendimento entre Sérgio Conceição e Paulo Sérgio tem gerado uma onda de comentários e críticas, visando em particular o treinador do FC Porto, que tem no 'currículo' outros desentendimentos que deram que falar.

"São coisas de quem vive de forma apaixonada, às vezes exagerada, o futebol. O que se passa ali fica ali. Sinceramente, não há mais nada, não há que alimentar isso", justificou-se Sérgio Conceição, na sala de imprensa, após o jogo.