Portugal
GD Chaves regressa aos treinos com jogadores em vários grupos
2020-09-14 18:40:00
Confirmados quatro casos positivos nos flavienses

O Desportivo de Chaves, que tem quatro elementos infetados com covid-19 e um total de sete em confinamento, regressou hoje aos treinos com os jogadores divididos em pequenos grupos, explicou fonte do clube da II Liga de futebol.

Fonte do emblema transmontano revelou à agência Lusa que o grupo regressou hoje aos trabalhos de campo, dividindo os treinos ao longo do dia, com os jogadores divididos também em pequenos grupos.

A mesma fonte disse ainda que toda a estrutura realizou hoje de manhã novos testes à covid-19.

O delegado da Unidade de Saúde Pública (USP) do Alto Tâmega e Barroso, Gustavo Martins-Coelho, adiantou no domingo à noite à Lusa que o Desportivo de Chaves tem um total de sete elementos em isolamento, após ter registado quatro casos de covid-19, mas que podia regressar aos treinos.

“O inquérito epidemiológico está concluído, a avaliação de risco com base nas novas informações está concluída, e foram identificados novos contactos com os casos confirmados, que já tinham sido confirmados na sexta-feira, e esses contactos estão em isolamento”, explicou.

O delegado de saúde precisou que, além dos quatro casos de infeção por covid-19 no clube já anunciados, dois jogadores e dois treinadores, também mais três elementos foram colocados em isolamento, sem especificar se são jogadores ou elementos da equipa técnica.

“Neste momento, cabe ao Desportivo de Chaves, se assim o entender, divulgar quem é que está em isolamento”, acrescentou.

À Lusa, o clube flaviense informou no domingo à noite que não iria prestar mais esclarecimentos.

Gustavo Martins-Coelho tinha realçado ainda no domingo que o clube podia agora retomar os treinos, após toda a estrutura ter sido colocada em isolamento na sexta-feira, decisão que levou ao adiamento do Feirense-Chaves, encontro da primeira jornada da II Liga, que estava previsto para as 20:00 de sexta-feira.

O delegado de saúde tinha explicado à Lusa na sexta-feira à noite que, depois de uma primeira avaliação de risco, após quatro casos positivos de covid-19 no Desportivo de Chaves divulgados na sexta-feira, foi dito que “não havia inconveniente” para a realização do encontro em Santa Maria da Feira, mas que, “ao final da tarde”, esta entidade recebeu “novas informações que não estavam na posse ao final da manhã”.

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte disse no sábado que o Desportivo de Chaves organizou um jantar convívio com o plantel e equipa técnica “em pleno período de infeciosidade dos casos confirmados identificados” de covid-19.

A ARS do Norte explicou que após articulação das autoridades de saúde local, regional e nacional, foi decidida a “determinação de medidas cautelares que inviabilizavam a participação do referido clube no jogo do campeonato de futebol”.

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional defendeu no sábado que é “imperativo” manter a aplicação da orientação de que um caso positivo não torna, por si só, obrigatório o isolamento coletivo das equipas, referindo que a competição não pode parar, após uma reunião de emergência com os médicos de todas as sociedades desportivas que integram as competições profissionais.

O secretário de Estado da Saúde afirmou hoje que "o futebol não pode dar sinais contrários" face ao estado de contingência e que as autoridades "não abdicarão de usar todos os meios" para conter a pandemia de covid-19.

"O Governo continuará empenhado em permitir o regresso à normalidade possível das modalidades desportivas e do futebol, mas as autoridades de saúde não abdicam de usar todos os meios legais e de saúde pública para limitar a propagação do vírus", começou por dizer António Lacerda Sales, em conferência de imprensa.