Portugal
"Vou abandonar este patético mundo covid-19 e tratar doentes reais"
Redação
2021-01-19 22:15:00
Presidente do Sporting anuncia queixa na Ordem dos Médicos contra laboratório, no caso que envolveu Sporar e Nuno Mendes

Frederico Varandas manifestou-se hoje indignado com o caso que envolveu Nuno Mendes e Sporar, atletas que acusaram falsos positivos nos testes de covid-19, nas vésperas do encontro com o FC Porto, e que ficaram fora do jogo da Taça da Liga, por imposição da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Em declarações aos jornalistas, depois do jogo da Taça da Liga, que os leões venceram por 2-1, o presidente do Sporting prestou esclarecimentos sobre todos os procedimentos das autoridades. E anunciou uma queixa na Ordem dos Médicos, por considerar que houve falhas no processo. 

"Nos testes de covid-19 antes do jogo com o Rio Ave, dois jogadores do Sporting acusaram positivo ao novo coronavírus. Seguimos escrupulosamente o protocolo delineado com a Liga e a DGS, mas o Sporting vai mais além e faz testes de controlo interno. E, pela primeira vez, os resultados internos não bateram certo. Respeitámos o protocolo e os dois jogadores ficaram privados de jogar. No dia seguinte, os dois jogadores repetiram testes, fizeram testes internos e deram negativo", afirmou o dirigente.

Frederico Varandas garante que Sporar e Nuno Mendes não estão infetados com o novo coronavírus: "Sou médico e posso afirmar inequivocamente que os jogadores não têm covid-19. Falámos com o diretor-clínico da Unilab e o próprio diretor-clínico nos disse que se tratava de falsos positivos".

O presidente do Sporting recorre à ironia, para criticar o modo como o caso foi tratado pelo laboratório. "Um falso positivo, ao contrário do falso negativo, tem uma percentagem inferior a um por cento. Em 30 testes, o Sporting teve dois falsos positivos. É azar... Em cem testes existe em média um falso positivo. Acontece. A estatística é o que é. Tivemos azar", ironizou.

"Para grande espanto meu, no dia seguinte, já com todos os testes, documentados, com um email do diretor-clínico da Unilabs, onde afirma que ocorreram dois falsos positivos, remetemos toda a documentação. A autoridade regional de saúde afirmou que o caso estava resolvido e que os dois jogadores podiam ser integrados", contou ainda o dirigente. 

Mas, "de entre muitos azares, existem muitas coisas estranhas". "Quando os jogadores iam sair do sistema, Nuno Mendes nem sequer estava inscrito no Sinave. Não houve razão para Nuno Mendes não poder jogar com o Rio Ave. Ao contrário do Sporar, que estava registado no Sinave. A autoridade de saúde achou estranho e temos informação de que os jogadores podem treinar e jogar", garante.

"Acontece que, a partir de hoje de manhã, o documento já não chegava para a DGS. Queriam que estivesse escrito que houve um erro. A autoridade regional de saúde envia um email, às 13h30 de hoje, para o laboratório mudar a palavra 'falso positivo' para 'erro laboratorial'. Ainda não houve resposta e o jogo já foi", critica.

Frederico Varandas lamenta que o Sporting tenha ficado "privado de contar com dois jogadores." "Cidadãos portugueses podem trabalhar, nestas circunstâncias", sublinha.

"Podem dizer que o Sporting joga mal, mas não admito que ponham em causa a honestidade do corpo clínico, dos médicos do clube. Vamos fazer uma queixa na Ordem dos Médicos contra o diretor clínico da Unilabs, que disse que nem sabia o que se passava e que nem tinha sido contactado. Pena que tenhamos um email desse senhor... Agora, vou abandonar este patético mundo covid-19, porque daqui a uma hora vou cuidar de doentes reais", concluiu.