Portugal
“Foi o golo do Sérgio Oliveira e nem a repetição tivemos”
Redação
2021-03-24 11:25:00
Confusão entre treinadores do FC Porto e do Portimonense criticada por Sousa, que pede mão pesada da justiça. E rapidez

O incidente entre Sérgio Conceição e Paulo Sérgio, técnicos do FC Porto e do Portimonense, respetivamente, durante o último jogo das duas equipas, mereceu críticas de Sousa, que aponta o dedo aos protagonistas do incidente, mas também ao Conselho de Disciplina, que segundo o ex-futebolista e comentador da SportTV é muito permissivo. 

Tenho sempre criticado as medidas muito leves aos treinadores. Foi o golo do Sérgio Oliveira e nem a repetição tivemos, porque houve esta confusão toda entre os técnicos”, enquadra Sousa, lamentando que os verdadeiros protagonistas, os jogadores, passem para segundo plano, em virtude do péssimo comportamento dos dois técnicos. 

Os incidentes que terminaram nas expulsões de Conceição e Paulo Sérgio, “já tinham começado com o golo do Portimonense e depois, com as bocas para lá e para cá, aconteceu o que aconteceu”Para Sousa, se não é possível incutir outro espírito a quem é protagonista de incidentes do género, deve haver um sistema de multas que combata uma quase impunidade. 

Estive a consultar os castigos. Há um processo disciplinar e depois temos multas de 400 euros. A questão é: se as multas em vez de 400 euros fossem de 40 mil euros? Além de que o processo disciplinar nãprevê jogos de suspensão, mas são dias de suspensão”, sustenta. 

Sousas defende um sistema de multas pesado, mas não apenas para os treinadores. O comportamento de todos os elementos do banco de suplentes tem sido reprovável, na opinião do ex-futebolista. 

Nem estou a falar do que os treinadores proferiram. Quando os jogos estão quentinhos, é normal uma boca para aqui, outra para ali... Ainda que não faça sentido. Mas quando acaba por ser recorrente, o Conselho de Disciplina tem de ter mão pesada. Em todos. E não é só os treinadores; são os médicos, restantes elementos do banco... É inadmissível”, defende. 

Além de multas que induzam esses elementos a um comportamento correto, o Conselho de Disciplina tem de ser mais célereEste foi o exemplo que estes dois treinadores deram do nosso futebol”, critica Sousa, apontando o dedo a Sérgio Conceição e Paulo Sérgio. 

Se calhar, no final do campeonato vão cumprir 60 dias...”, ironiza ainda o ex-futebolista, apontando um exemplo de mais um caso provável de impunidade que reina no futebol português.