Jogo do Povo
FC Serpa. Um clube onde o ex-presidente é relatador e nem dois enfartes o travam
2023-05-11 16:05:00
A história do ex-presidente que é ex-tudo no FC Serpa menos ex-adepto do clube da terra

Era uma vez o romance do ex-jogador, ex-diretor e ex-presidente que nunca deixou de ser adepto e agora leva ao povo as emoções do jogo do FC Serpa através das ondas da rádio. Esta é a história feliz de um João, como muitos outros Joões por este país fora que contam o futebol em estado puro, com a emoção em estado puro, com o amor na garganta e as lágrimas nos olhos em estado puro, num elo de ligação fortíssimo à terra que nunca se perde. Esta é a história de João Cofones, o alentejano de Serpa que, mesmo depois de dois enfartes, continua a chorar de alegria com as aventuras do 'seu' FC Serpa no Campeonato de Portugal.

João Cofones representa mais do que o adepto que já foi presidente. Ele revela o lado mais bonito do futebol e nos últimos dois anos virou estrela do FC Serpa no Campeonato de Portugal, um emblema que alcançou a tão desejada manutenção sobre o risco de meta e as emoções ficaram à flor da pele. De tal modo que nas redes sociais rapidamente os relatos de Cofones se tornaram virais. 

"Estamos aqui ansiosos de que termine o jogo em Albufeira para que se faça a festa. Vamos ver. Nossa Senhora de Guadalupe. Acabou, acabou, acabou, acabou, acabou, acabouuuuuu. A-ca-bou, o Serpa está no Campeonato de Portugal, o Serpa está no Campeonato de Portugal [lágrimas], acabou. O Serpa está [lágrimas e silêncio]. Obrigado, o Serpa está no Campeonato de Portugal, o Serpa está no Campeonato de Portugal. Serpa, Serpa, Serpa. Serpa do meu coração. Obrigado. Obrigado. Obrigado Senhora de Guadalupe que estiveste connosco uma vez mais", relatou Cofones perante a euforia que se fazia sentir no Complexo Desportivo Manuel Baião, em Serpa, quando em abril de 2023 o FC Serpa segurou a manutenção. 

Esse relato entrou para a história porque sensivelmente um ano antes, em condições semelhantes, Cofones contou a emoção da salvação do 'seu' FC Serpa. E a história voltou agora a repetir-se no coração do Alentejo.

É aí, nas terras da raia portuguesa, e num dos mais extensos municípios de Portugal, que Cofones conta domingo após a domingo faça chuva ou faça sol a história alentejana de um clube. Porque, por mais voltas que a vida dê, todos voltam sempre à bancada como em pequenino.

Um ex-presidente que relata a emoção do futebol local

"O Serpa para mim é especial. Além de ser o clube da minha terra, é um clube onde joguei em miúdo, fui diretor e mais tarde presidente. Sinto um orgulho enorme em fazer parte da história do FC Serpa", explica João Cofones ao Bancada.

Na terra do queijo de Serpa e do Cante Alentejano, o adepto que é os olhos dos serpenses não esconde que o FC Serpa é uma extensão da própria casa. E, para ele, é importante que essa casa continue referenciada nos palcos nacionais do futebol português.

"É muito importante para a cidade de Serpa ter um clube no Campeonato de Portugal, bem como também é importante para o distrito de Beja e claro para todo o nosso Alentejo". E a razão é só uma.

"Todo o envolvimento deste tipo de campeonato, que com todo o respeito, não se compara ao distrital", diz-nos João Cofones, que conversou com o Bancada sobre este amor ao FC Serpa e não fugiu ao tema da forma como o clube conquistou direito a estar no Campeonato de Portugal.

Em dois anos, duas vezes seguidas a lutar até ao fim e a ser feliz mesmo quando o pano estava a cair. Este ano, o FC Serpa venceu o Angrense na última jornada por 4-2, mas precisava de saber o resultado do Imortal DC contra o Oriental Dragon FC, em Albufeira, no Algarve. E os instantes finais foram de pura emoção.

A sorte, diz Cofones, é uma coisa que está ligada à força de "Nossa Senhora de Guadalupe", a padroeira da terra, que, no dizer deste ex-presidente, ajudou a manter o FC Serpa mais um ano no Campeonato de Portugal.

Ao Bancada, Cofones explica que até lhe faltam as palavras para aquilo que tem vivido nestes últimos anos no FC Serpa que também na temporada anterior tinha alcançado a salvação sobre o risco da meta.

"Eu próprio já fui vítima de dois enfartes e toda a gente tem receio comigo"

"Foram dois anos incríveis! Nem sei dizer qual o momento mais emocionante, pois foram todos. Este ano não dependíamos de nós próprios, o que talvez tenha sido mais sofrido", palavra de quem já teve dois enfartes e continua ligado à máquina do futebol pelo amor que lhe corre nas veias ao FC Serpa.

"Eu próprio já fui vítima de dois enfartes e toda a gente tem receio comigo, já que me emociono bastante, mas vou tentando manter o controlo, apesar de nem sempre ser fácil", admite Cofones. E quem é adepto e sente o amor ao clube da terra percebe, perfeitamente!

Na viagem das palavras, o Bancada perguntou também até onde pode ir o clube alentejano no mapa do futebol português. O ex-presidente é claro e sabe que não se pode, como se diz em bom português, dar um passo maior que a perna. Mas o sonho comanda a vida.

"Todos gostaríamos de ver o FC Serpa no patamar mais elevado, mas sabemos que a realidade não nos permite sonhar muito mais, por isso desejo que o FC Serpa se mantenha no Campeonato de Portugal por muitos anos. Eu gosto deste campeonato e os adeptos também", enfatizou Cofones, ele que virou estrela das redes sociais com os relatos, afinal não é todos os dias que um ex-presidente que já teve dois enfartes continua ligado às ondas da rádio num futebol carregadinho de emoções fortes.

"Fiquei muito surpreendido, jamais imaginei este impacto a nível nacional. São muitas as mensagens que chegam de todo o mundo", conta Cofones, figura conhecida em cada rua e ruela da cidade de Serpa.

"Sempre fui humilde e por isso fico feliz e orgulhoso no momento, mas depois tudo passa e volto à minha vida normal e a ser o João Cofones que todos aqui conhecem. Agradeço sempre à Direcção do FC Serpa e aos meus colegas dos relatos e filmagens, pois sem eles nada disto seria possível!".

Cofones conhece a história do FC Serpa, conhece os novos e as velhas guardas e entrega méritos aos que deram de si ao FC Serpa e aos que continuam a dar. Mas num altar especial mora a padroeira da terra.

"Antes das coisas acontecerem, perguntam se falei com a nossa Santa"

"A Nossa Senhora de Guadalupe está acima de tudo", revela o ex-presidente do FC Serpa, desvendando que o seu coração e a sua fé lhe dizem que duas salvações épicas do FC Serpa no Campeonato de Portugal tiveram a mão salvadora de Nossa Senhora de Guadalupe.

"Em nenhum momento a padroeira da nossa terra me faltou. É engraçado mas os adeptos do clube, antes das coisas acontecerem, perguntam-me se eu falei com a nossa Santa. Sinto que Nossa Senhora de Guadalupe tem feito milagres naquele estádio", palavra de Cofones, que alimenta a "paixão" pelo futebol e pela rádio de proximidade, como era nos tempos antigos.

Hoje, João Cofones é um homem feliz, realizado e sonhador com o FC Serpa. "Tem sido algo fantástico e muito difícil de explicar. Sinto-me feliz!", explica-nos um ex-presidente, ex-diretor, ex-jogador que já foi tudo no FC Serpa, só nunca foi e nunca será um ex-adepto, porque a essência do futebol está na bancada. É um romance para sempre.