Portugal
FC Porto empata com Boavista com penálti falhado e golo anulado
Redação
2021-02-13 22:25:00
Dragões somam terceira igualdade consecutiva no campeonato

FC Porto e Boavista empataram hoje, 2-2, em partida da 19.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que fez jus estatuto de ‘dérbi da cidade Invicta', com uma ponta final 'eletrizante'.

Depois dos ‘axadrezados' terem construído uma surpreendente vantagem de dois golos no primeiro tempo, com os tentos de Jackson Porozo (8) e Elis (45+1), o FC Porto ainda reagiu, no segundo tempo, por Taremi (54) e Sérgio Oliveira (82), de grande penalidade, mas desperdiçou, nos derradeiros minutos, uma outra grande penalidade e viu um golo anulado num dos últimos lances.

Com este empate, o terceiro consecutivo em jogos do campeonato, os ‘dragões', que antes deste desafio tinham colocado tarjas com a palavras "Basta" espalhadas nas bancadas do estádio em protesto com as arbitragens, seguem no segundo lugar, agora com 41 pontos, a sete do líder Sporting, que só joga segunda-feira com o Paços de Ferreira.

Já o Boavista, conseguiu quebrar uma série de duas derrotas consecutivas, e ao somar agora 15 pontos deixou o último lugar da classificação, embora se mantenha ainda em zona de descida divisão, com o mesmo pecúlio que o Famalicão, que é o lanterna-vermelha.

Os ‘axadrezados', que se apresentaram para este desafio sem Javi Garcia, castigado, e Chidozie, emprestado pelo FC Porto, até tiveram uma entrada ‘endiabrada' no desafio, surpreendendo, desde cedo, o adversário com rápidas transições.

Depois de uma primeira ameaça de Elis, logo aos dois minutos, num desvio que obrigou o guardião do FC Porto a defesa apertada, o Boavista inaugurou o marcador, aos oito minutos, num cabeceamento do central Jackson Porozo, com parca oposição, na sequência de um canto.

Surpreendido com a entrada de rompante dos vizinhos do Bessa, o FC Porto, que surgiu com Corona e João Mário, nos lugares dos castigados Luís Diáz e Uribe, e com Diogo Leite no eixo da defesa a render Mbemba, que surpreendentemente não fez parte das opções, sentiu dificuldades para responder ao revés.

Um cabeceamento madrugador de Marega e um remate perigoso do Sérgio Oliveira, surgiram como as únicas oportunidades claras dos ‘dragões' na etapa inicial, onde os comandados de Sérgio Conceição mostraram um futebol pouco articulado e com menor objetividade.

Perante o pouco acerto dos ‘azuis brancos', o Boavista sentia-se confortável no jogo, e sempre que encontrava espaço para esboçar os seus contra-ataques causava pânico na área contrária.

Elis continuava a ser uma das maiores dores de cabeça para defensiva portista, e já depois de ameaçar o segundo o golo, à passagem da meia hora, travado por uma das defesas da noite de Marchesin, acabou mesmo por afinar a pontaria já nos descontos, desviando para o 2-0, após trabalho de Ricardo Mangas e Angel Gomes.

Sérgio Conceição, que ainda antes do apito para o intervalo recolheu aos balneários, preparou três substituições de uma assentada no FC Porto, lançando logo no reatamento Zaidu, Grujic e Otávio, para os lugares Diogo Leite, Fábio Vieira e João Mário.

As mexidas contribuíram para que os ‘dragões' surgissem com ambição renovada e um futebol bem mais acutilante, com Otávio, que voltou à competição após paragem por lesão, a frisar a mudança de atitude com um remate um pouco lado, aos 50.

O lance galvanizou a equipa portista, que quatro minutos depois conseguiu ‘reduzir os estragos', apontando o 2-1, num remate de Taremi, na sequência de um lançamento lateral, que ainda sofreu um desvio, traindo o guarda-redes boavisteiro Leo Jardim.

Com o jogo relançado, o FC Porto foi subindo linhas e conseguindo uma presença mais constante na área do Boavista que, ainda assim, ainda espreitava alguns contra-ataques. aproveitando o adiantamento dos ‘dragões.

No entanto, aos 82 minutos, as ‘panteras' acabaram por cometer um erro fatal, com Devenish a derrubar na área Evanilson, numa falta para grande penalidade, que Sérgio Oliveira, na cobrança, não desperdiçou, resgatando o empate.

Acreditando na reviravolta, o FC Porto não amenizou a pressão e nos minutos seguintes protagonizou uma ponta final eletrizante, com duas soberanas oportunidades para se colocar em vantagem.

Aos 84, numa nova grande penalidade, Sérgio Oliveira desperdiçou, desta vez, rematando ao poste, e já aos 89, numa jogada de Francisco Conceição, que Evanilson introduziu na baliza, mas viu o golo ser anulado com auxílio do VAR, fazendo prevalecer o 2-2 final.