Portugal
“Faltou-nos matreirice, mas vamos de cabeça erguida”, diz Daniel Ramos
Redação
2021-04-03 22:50:00
Treinador do Santa Clara realça que a equipa “nunca se escondeu” na partida com o FC Porto

O golo de Toni Martínez no final dos descontos impediu o Santa Clara de levar um ponto da casa do FC Porto (2-1), deixando “aquele misto de frustração e satisfação” no balneário da formação açoriana, como adiantou o treinador Daniel Ramos. “Estamos tristes, mas, olhando friamente, fizemos uma grande partida. Hoje ficou mostrado que o Santa Clara é equipa que quer jogar, que não se encolhe e, onde quer que seja, vai tentar sempre em campo para lutar pelo melhor resultado possível”, destacou o técnico, na entrevista rápida à SportTV.

“Muito do que aconteceu no jogo não foi demérito do FC porto, foi mérito do Santa Clara. A forma como jogámos, nunca nos escondemos. Reconhecemos que, em alguns momentos, apelámos mais ao lado defensivo, mas fomos sempre uma equipa organizada e compacta. Fomos equipa”, insistiu, lamentando o golo “penalizador” Toni Martínez.

“Não levamos nada para casa, mas vamos de cabeça erguida. É duro, é futebol, mas é preferível assim do que chegar aqui defender o tempo todo e perdemos sem produzir. Viemos jogar pelo melhor resultado, tentámos vencer o jogo faltou-nos matreirice por algumas situações que aconteceram no jogo. Mas fica uma grande satisfação porque temos grandes profissionais, gente que trabalha de forma séria. Lamentamos o resultado, mas saímos orgulhosas porque fizemos uma grande exibição”, referiu Daniel Ramos, satisfeito com aquilo que os seus pupilos têm vindo a fazer.

"Temos vindo a fazer história aos bocadinhos, fazemos casa e fora de forma muito homogénea, mas não estamos satisfeitos. Queremos mais, mas, para este ano, o objetivo é a permanência. Depois [de a alcançar] é tudo o que pudermos conseguir. Aquilo que nos é transmitido de fora para dentro é a demonstração de equipa e é muito bom sentir isso. Sinto orgulho de fazer parte desta equipa, porque trabalhamos de forma série e justa, e, por isso, merecemos ser recompensados."