Portugal
"Este SC Braga não brinca em serviço, leva tudo a sério", realça Carvalhal
2021-01-13 18:30:00
Técnico garante que jogo com Torreense foi preparado "como se fosse com o Leicester, Benfica, Sporting ou FC Porto"

Carlos Carvalhal, treinador do SC Braga, considerou que a goleada ao Torreense (5-0), no jogo desta tarde, para a Taça de Portugal, se deveu à "atitude" com que os minhotos subiram ao relvado.

"Esta equipa não brinca em serviço, leva tudo a sério. Reforço isto, porque, no início da época, mesmo em jogos particulares, teve sempre esta atitude. Faz parte da educação e temos que educar os jogadores que o maior respeito pelo adversário é dar sempre o máximo e não brincar. Os ingleses têm esta mentalidade", destacou o técnico, na conferência de imprensa após o encontro.

Carvalhal elogiou a "qualidade" do Torreense, um adversário que "só tinha sofrido três golos" e que "não perdia desde fevereiro" de 2020.

"Acabámos por tornar o jogo fácil pela nossa atitude competitiva e qualidade de jogo. Preparámos este jogo como se fosse com o Leicester, Benfica, Sporting ou FC Porto", garantiu.

Uma "atitude" que é para manter agora que o SC Braga vai entrar num ciclo de vários jogos em pouco tempo.

"A partir do jogo com o Benfica, até março vamos jogar de três em três dias. Vamos ter que ter 22 jogadores preparados para jogar. Era preciso que o grupo desse esse sinal para dentro", considerou o treinador, apontando a "boa resposta" dada por Abel Ruiz, autor de dois golos, e de Schettine e Vítor, "que teve uma entrada brutal em jogo".

"O Vítor é um miúdo que está a jogar na equipa B, que já tem treinado connosco, como outros, e se precisarmos dos seus préstimos, não nos vai deixar ficar mal. Tem características diferentes dos outros, sobretudo no ataque à profundidade e é um trabalhador incansável", acrescentou. 

O SC Braga aplicou uma mão cheia de golos numa partida em que não contou com o principal goleador.

"Não estou muito preocupado, claro que queremos todos os jogadores disponíveis, mas marcámos dois no último jogo, cinco hoje, somos mais fortes com o Paulinho e queremos que ele volte rapidamente", comentou.

Questionado sobre uma eventual saída de Rolando em janeiro, Carlos Carvalhal lembrou as críticas que já tinha feito com as "notícias do Paulinho".

"Eu sei que os jornalistas fazem o seu trabalho e há fontes, que nunca dão a cara, mas nunca se falou que o Rolando ia sair, muito menos eu", adiantou.

"Há sempre jogadores designados para marcar, mas foi o grupo que decidiu dar a possibilidade ao Vítor de marcar na estreia, o que fica marcado para o resto da vida. Isto é ter um bom espírito de grupo. Hoje, estou super feliz por tudo, pela forma como jogámos, pelos cinco golos, por não ter sofrido, pela estreia do Vítor e pelo seu golo", conclui Carlos Carvalhal.