Portugal
"Está tudo maluco? No meu tempo, tratavam-se por senhor doutor e caro colega"
Redação
2021-03-03 10:45:00
Ex-futebolista diz que discurso dos jogadores do Sporting no clássico foi "gravíssimo"

O clássico entre FC Porto e Sporting já lá vai mas continua a dar que falar, nomeadamente a respeito dos gritos que os jogadores deram durante a partida, das vezes que os bancos se levantaram, e das trocas de palavras durante o encontro.

"Não vou dizer o que o Nuno Santos ou o Pedro Gonçalves disseram ao nosso banco e aos jogadores do FC Porto, pois há quem use isso para mascarar as coisas mais importantes, mas faz parte, pois é o que vende. Parece-me que muita gente comenta o que se passa à volta do futebol, mas também há muita gente que comenta e que percebe", disse Sérgio Conceição, em conferência de imprensa.

 

Fernando Mendes, antigo jogador de FC Porto, Sporting e Benfica, entre outros clubes, alinha pela mesma ideia de Conceição e diz que "só quem não jogou futebol" é que "não percebe" que a troca de palavras entre jogadores faz parte da dinâmica de um jogo.

"É gravíssimo, muito grave mesmo as palavras de Nuno Santos para Sérgio Oliveira. Mandou o Sérgio Oliveira cortar o cabelo. Não sei como é que o Conselho de Disciplina não vai averiguar isto e dar cinco ou dez jogos ao Nuno Santos", comentou, com ironia, o ex-futebolista, insistindo no tom sarcástico no comentário.

"Gravíssimo, sinceramente. Depois o Pote terá dito ao Nuno Mendes para cozer a cabeça ao miúdo. Como o futebol mudou. No meu tempo, os colegas tratavam-se por senhor doutor, caro colega, faça favor, peço desculpa. Enfim, só quem não jogou futebol...", afirmou Fernando Mendes, não percebendo onde se quer chegar com este tipo de coisas.

"Está tudo maluco? Só quem não andou lá dentro. O Sérgio Conceição tem razão. O que se passa lá dentro fica lá dentro. É mãe para aqui e para para ali", disse Fernando Mendes, preferindo não valorizar muito a atitude de Francisco Conceição em deixar Pedro Porro de mão estendida no final da partida.

"Não quer cumprimentar não cumprimenta. Estava chateado. O fair-play é uma treta, como diz o Jesus. Só têm fair-play quando ganham", disse Fernando Mendes, na CMTV.

Sobre este tema, recorde-se, Sérgio Conceição preferiu não se alongar em muitos comentários, lembrando que o que se passa dentro do jogo entre os protagonistas, fica dentro do jogo.

"Aquilo que se passa no campo fica no campo, com os intervenientes. Se for a contar tudo o já disse a adversários ou eles a mim… Faz parte de tudo aquilo que se passa num desporto apaixonante e emocionante, que leva o ser humano ao limite. Se fosse a contar tudo, começava hoje e só acabava daqui a dez anos. Mas se calhar o que se diz antes ou depois dos jogos é mais importante do que os bons jogos que fizemos em SC Braga e contra o Sporting", reagiu Sérgio Conceição.