Portugal
"A pressão escandalosa que FC Porto faz tem estes resultados", diz Miguel Braga
Redação
2021-05-03 23:00:00
Responsável pela comunicação do Sporting aponta dragões como beneficiados ao nível de penáltis e de cartões amarelos

O Sporting continua a contestar a arbitragem de Manuel Oliveira na partida com o Nacional, para a 30.ª jornada da I Liga, e sustenta que esse prejuízo dos leões teve como intenção beneficiar o segundo classificado, o FC Porto. Segundo Miguel Braga, responsável pela comunicação do Sporting, só assim se entende "a pressão" que os dragões têm feito sobre a arbitragem, que atingiu uma dimensão "escandalosa" esta temporada.

“Sem querer ofender ninguém, foi a pior arbitragem que vimos este ano, quer do árbitro, quer do VAR. Uma das razões para que tal tenha acontecido tem a ver com a pressão que existe. Deviam ser nomeados os melhores árbitros para este final de campeonato, porque a pressão existe desde o início do campeonato e tem vindo a acentuar-se com os maus resultados de outras equipas”, começou por referir o porta-voz leonino, ao intervir no 'Raio-X' desta noite, na Sporting TV.

Para explicar que o FC Porto é beneficiado pela arbitragem, Miguel Braga apresentou estatísticas, mostrando os números de grandes penalidades assinaladas a favor dos dragões e comparando o número de cartões amarelos exibidos a jogadores de FC Porto e Sporting. "Só essa pressão explica que o FC Porto tenha mais penáltis [15] do que Sporting [oito], Benfica [um] e SC Braga [quatro] juntos. É a segunda parte deste normal do nosso futebol. E existe uma diferença de 30 cartões entre o FC Porto e o Sporting. Não me parece nada normal que o FC Porto esteja na frente para ganhar o prémio fair-play, isso não é nada normal", insistiu, aludindo a uma frase recente de Pinto da Costa, quando o presidente portista afirmou que acreditava no título se tudo fosse "normal" até ao fim da I Liga.

"Esta pressão que o FC Porto faz ao longo dos anos e que este ano tem sido escandalosa tem estes resultados, infelizmente", insistiu Miguel Braga, fazendo de seguida uma alusão ao recente "cordão humano" feito por uma claque portista, os Super Dragões, de protesto contra a arbitragem. "Ao fim de 30 jornadas, os números deviam ser minimamente coerentes. Só assim se compreende que os adeptos do FC Porto se queixem das arbitragens quando são a equipa com mais penáltis e menos amarelada", afirmou.

Com a mira em Pinto da Costa, o responsável pela comunicação do Sporting recuperou os incidentes em Moreira de Cónegos, com um repórter da TVI a ser alegadamente agredido por Pedro Pinho. "Foi um episódio de violência ao vivo e a cores da ‘entourage’ do presidente de um clube grande. Na sequência disto tudo, ainda há um testemunho de ocultação do fenómeno pelas entidades que o deviam condenar. Não fazendo um exercício muito exaustivo, lembramo-nos da perseguição e insultos a um jornalista que se limitou a contar quantas vezes se levantava um banco e outro. Se virmos o que disse o presidente do FC Porto sobre a expulsão do Sérgio Conceição ou mesmo querendo equiparar um mero recurso aos tribunais ao caso Palhinha... Devo andar distraído, não vi o Hugo Miguel ficar arrependido de dar o cartão vermelho ao Sérgio Conceição. O episódio em Moreira de Cónegos envergonha o futebol português e o país, foi tão grave quanto isso", comentou.

No mesmo programa, Miguel Braga abordou ainda os incidentes hoje ocorridos em Alvalade, com cerca de uma dúzia de pessoas, alegadamente afetas à claque do Benfica Diabos Vermelhos, a agredir elementos da claque leonina Torcida Verde. "O que surpreende é a violência deste ataque e como se faz isto durante o dia e de forma gratuita. Esperemos que as autoridades sejam céleres a identificar os responsáveis e a levá-los à justiça", finalizou.