Portugal
"Esta é a única claque que nunca matou adversários e nunca invadiu o estádio"
2024-02-02 09:15:00
"A atuação policial é de maneira a favorecer Pinto da Costa", admite Miguel Sousa Tavares

Os Super Dragões enfrentam um dos momentos mais delicados desde a sua fundação. Fernando Madureira, líder da claque, foi detido no âmbito da Operação Pretoriano, que levou também a outros mandados de captura, nomeadamente da sua esposa, Sandra Madureira e membro da organização de apoio ao FC Porto, tal como Fernando Saúl, speaker do Estádio do Dragão e antigo elemento dos Super Dragaões. Vários outros elementos da claque foram detidos por causa das investigações das autoridades.

Miguel Sousa Tavares, escritor, comentador e conhecido adepto do FC Porto, há muitos anos um crítico da gestão de Pinto da Costa, diz que "não defende esta gente", mas realça que, por exemplo, os Super Dragões são uma claque que "nunca matou ninguém".

“Quero que eles se vão embora. Acho que só fazem mal ao clube há muitos anos. Apesar de tudo esta é a única claque que nunca matou adversários, é a única claque que nunca invadiu o estádio e nunca agrediu os próprios jogadores e está registada de acordo com a lei, apesar de tudo”, afirmou Sousa Tavares, certo de que a Operação Pretoriano acabará por levar a que Pinto da Costa seja reeleito presidente do FC Porto.

"Claque dos Super Dragões nunca matou adversários", diz Sousa Tavares

“Acho que isto vai ajudar à reeleição de Pinto da Costa. Dá força a Pinto da Costa. Porquê? Primeiro, a operação policial, para não variar, é de uma dimensão espalhafatosa e absurda", argumentou Sousa Tavares.

Em declarações na TVI, o portista fez referência às imagens partilhadas por familiares dos Madureira do interior da casa de Fernando e Sandra após as buscas, onde foram visíveis imagens de tudo desarrumado.

"As imagens do estado em que a polícia deixou a casa de Fernando Madureira são insuportáveis de ver. Inacreditáveis. Ou seja, a minha casa já foi assaltada e não ficou neste estado”, comentou Sousa Tavares, enquanto eram passadas imagens do local.

"A atuação policial é de maneira a favorecer Pinto da Costa"

“Como é que a polícia pode deixar uma casa pior do que os ladrões deixariam? Como é que isto é admissível? Isto não é admissível”, assegurou Sousa Tavares, admitindo que esta possa ser mais uma "argolada do Ministério Público".

"E a atuação policial é de maneira a favorecer Pinto da Costa e não a desfavorecê-lo”, apontou Miguel Sousa Tavares, apelando a que as autoridades marquem presença nas eleições do FC Porto.

“Só espero que a polícia que atuou tão mal agora, atue bem no dia das eleições. E que esteja na Assembleia Geral Eleitoral, lá a controlar a eleição para que não exista intimidação dos sócios que querem votar, como tem havido, para que não exista roubo de urnas e falsificação da contagem de votos. Espero que isso aconteça”, concluiu.