Portugal
"Entre Rafael Leão e Félix prefiro o Rafael Leão", diz ex-diretor do Sporting
2020-10-21 12:15:00
Mascarenhas usa comparação para explicar a perda que representou para os cofres leoninos a rescisão de Leão

O Sporting continua em litígio com Rafael Leão, depois de o jogador ter rescindido contrato na sequência do ataque à academia de Alcochete, sendo que o avançado já foi condenado pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) a indemnizar o Sporting mas o caso ainda não chegou ao seu final.

Bruno Mascarenhas, antigo dirigente dos leões, entende que o clube não deve perdoar nada ao atleta e chega mesmo a destacar que está em causa uma perda do clube verde e branco de um jogador que poderia ter representado um encaixe significativo, comparando-o a João Félix, que foi vendido pelo Benfica ao Atlético de Madrid por 126 milhões de euros.

"Entre um e outro, prefiro o Rafael Leão. Basta olhar para o trajeto de ambos. O Leão já triunfou em França e acabou por ir para o AC Milan. Sendo muito novo, marca habitualmente no campeonato italiano. É um jogador superlativo", disse Bruno Mascarenhas, em declarações no portal Leonino.

O ex-dirigente do Sporting entende que já é bem tempo de a direção de Frederico Varandas avançar com ações para que a sentenção do TAD seja concretizada e não percebe este atraso.

"Há mais tempo que o Sporting devia ter feito pressão para 'executar' o jogador. Não percebo porque é que o clube demorou tanto tempo para o fazer. A partir do momento em que saiu a decisão do TAD, o Sporting tem mecanismos para 'executar' o jogador”, afirmou Bruno Mascarenhas.

A saída de Rafael Leão tem dado que falar nos últimos tempos no Sporting e Sousa Cintra já teve oportunidade de explicar aquilo que assistiu após o pedido de rescisão unilateral de Rafael Leão, na sequência do ataque a Alcochete.

O antigo presidente da SAD durante a Comissão de Gestão já assegurou que o avançado formado no Sporting não continuou nos leões porque "foi apertado".

Rafael Leão, atualmente nos italianos do Milan, foi condenado pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) a indemnizar o Sporting em 16,5 milhões de euros, pela rescisão do contrato.

O advogado de Rafael Leão, Fernando Veigas Gomes, já chegou a reagir ao acórdão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), que condenou o jogador a indemnizar o Sporting. "Ele pode nem ganhar 16 milhões de euros ao longo de toda a carreira", lembrou na altura.