Portugal
"Em Alvalade, um gato escondido parece fazer o seu caminho"
2024-01-09 10:40:00
"No caso do Benfica a questão não se põe. O Benfica é dos sócios e sempre há de ser", diz gestor Mauro Xavier

A gestão dos clubes há muito que vem sendo feita pelas sociedades anónimas desportivas (SAD) que foram quase sempre detidas maioritariamente pelos clubes como acionista de referência. Contudo, o contexto e os desafios do futebol atual têm levado a que muitos emblemas procurem outras soluções, nomeadamente a entrada de investidores externos.

Porém, a entrada de investidores é quase sempre feita dentro de determinadas condições. Nos ditos clubes grandes, os investidores ou acionistas nunca tiveram a maioria do capital. Ainda assim, já há casos no estrangeiro, vários, de clubes que passaram para as mãos de um investidor: Paris Saint-Germain, Manchester City ou o Chelsea, por exemplo.

Em Portugal, já há clubes detidos por investidores mas nenhum dos chamados 'grandes' do futebol está nas mãos maioritárias de investidores ou de um só investidor, coisa que no futuro poderá mudar. Mas, para isso, é necessário que a decisão seja aprovada em Assembleia Geral de sócios do clube, mudando estatutos.

"Quando o Sporting, que se habituou a viver de dinheiro emprestado, anunciou mais um perdão de divida mascarado de renegociação a intenção foi clara: abrir o capital da SAD a um novo investidor"

Mauro Xavier, gestor e conhecido sócio do Benfica, olha para o cenário atual dos clubes e não vê o Benfica a passar para as mãos de um só investidor que seja capaz de controlar a maioria das ações, sendo estas pertença do clube.

"No caso do Benfica a questão não se põe. O Benfica é dos sócios e sempre há de ser", comentou Mauro Xavier, no Record, onde deu conta de que vê coisa diferente a desenrolar-se no Sporting.

"Em Alvalade, um gato escondido com rabo de fora parece fazer o seu caminho para adquirir uma participação na SAD que detém a Academia Cristiano Ronaldo", atirou Mauro Xavier.

"Quando o Sporting, que se habituou a viver de dinheiro emprestado, anunciou mais um perdão de divida mascarado de renegociação a intenção foi clara: abrir o capital da SAD a um novo investidor", admitiu o gestor.

Em todo o caso, Mauro Xavier destacou, por sua vez em mensagem deixada nas redes sociais, que o Benfica deve pensar num "parceiro estratégico" para desenvolver a sua ação no futebol.

"É imperativo encontrar um parceiro estratégico que esteja alinhado com os nossos valores fundamentais. Um passo essencial neste processo é a recompra das ações detidas pelo José António Santos, mais conhecido como ‘Rei dos Frangos’", concluiu Mauro Xavier.