Portugal
"É um protesto para FPF e Conselho de Arbitragem porem mão nisto", diz Madureira
Redação
2021-04-30 20:25:00
Líder dos Super Dragões acrescenta que o caso Pedro Pinho "está a ser empolado por se tratar de um adepto do FC Porto"

O líder dos Super Dragões, Fernando Madureira, explicou que o cordão humano desta tarde, entre o hotel onde o FC Porto estagiou e o Estádio do Dragão (onde joga esta noite, com o Famalicão), foi um aviso para a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), em particular para o Conselho de Arbitragem (CA).

"É uma forma de protesto para a FPF, a Liga e o CA verem que não podemos ter árbitros destes no futebol. Se queremos ter um futebol melhor também temos de ter árbitros melhores", afirmou Madureira, depois de ter responsabilizado Hugo Miguel e António Nobre por "sonegarem" dois pontos ao FC Porto na partida com o Moreirense, para a 29.ª jornada da I Liga.

"Neste último jogo, o árbitro Hugo Miguel e o VAR António Nobre roubaram-nos dois pontos e prejudicaram-nos no resultado final. Podíamos estar a quatro pontos do Sporting e neste momento estamos a seis. Foram-nos sonegados dois pontos", realçou o líder da claque portista, em declarações à CMTV.

"Depois de se ver prejudicado, Sérgio Conceição foi reclamar e foi expulso. Foi punido 21 dias. O que aconteceu ao senhor Hugo Miguel? O que aconteceu ao senhor António Nobre? Nada. É para isso que estamos a alertar, para a FPF e o CA porem mão nisto", insistiu.

Fernando Madureira foi ainda questionado sobre a alegada agressão de Pedro Pinho a um repórter da imagem da TVI. "Depois o Pedro Pinho irá responder por isso. Estão a empolar de mais por ser adepto do FC Porto, mas as autoridades é que têm de tomar conta disso", respondeu.