Portugal
"É na adversidade que se veem os campeões e os jogadores de caráter", diz Bino
Redação
2021-04-08 13:55:00
Novo timoneiro do Vitória quer “devolver a alegria” aos jogadores, já no jogo com o Portimonense

O novo treinador do Vitória afirmou hoje que é preciso "devolver a alegria" ao emblema de Guimarães, na véspera da sua estreia na I Liga, no reduto do Portimonense, em jogo de abertura da 26.ª jornada.

Confirmado na segunda-feira como substituto de João Henriques, técnico que deixou a equipa minhota após ter somado seis pontos nos últimos 30 possíveis, Bino realçou que os atletas às suas ordens precisam de voltar a confiar no que são "capazes" de fazer, para, no final da época, terminarem o campeonato num lugar “europeu”.

"Pensamos no imediato e pensamos que a Europa é possível. Estamos aqui para cumprir os objetivos propostos ao início da época. Os jogadores são capazes. Num momento ou noutro, podem ir abaixo, animicamente, até porque estamos a falar de uma equipa jovem. Está a faltar alegria, desinibição nos processos. Estamos cá para devolver a alegria e para fazer um bom jogo", disse, em videoconferência de imprensa.

Recrutado à equipa B vimaranense, que ocupa o terceiro lugar na Série B do Campeonato de Portugal, com a passagem à fase de subida à III Liga já garantida, Bino Maçães reconheceu que "não perspetivava nesta altura" liderar a equipa principal, mas disse estar pronto para enfrentar o desafio com "ambição e determinação".

Apesar do "lado mental" ter sido "muito importante" nos primeiros quatro dias de trabalho, o treinador, de 48 anos, disse ter uma "ideia de jogo bem definida", que, na equipa B, assentava num sistema tático 3x4x3, ao contrário do 4x3x3 de João Henriques, mas também assumiu "alguma cautela" nesse trabalho.

"Não é o sistema que é o mais importante. O mais importante é o que os jogadores conseguem colocar em prática dentro do campo. Acredito que o Vitória se vai apresentar confiante e forte para vencer o jogo. A minha ideia não tem nada que ver com a de outros treinadores, mas, com os maus resultados, temos de ter alguma cautela para não mudarmos tudo de uma vez", salientou.

Convicto de que é na "adversidade" que se veem os "campeões" e os "jogadores de caráter", o técnico, natural da Póvoa de Varzim, disse esperar, na sexta-feira, o primeiro passo rumo à recuperação.

"Ninguém está satisfeito com o atual momento do Vitória. É na adversidade que se veem os campeões e os jogadores de caráter. E é também isso que nós procuramos. Perceber quem tem esse caráter, para dar continuidade ao nosso trabalho.

Sobre o embate com o Portimonense, Bino espera um Portimonense "moralizado" com o último resultado (goleada por 5-1 frente ao Nacional), e identificado com as ideias de Paulo Sérgio.

"Espero um jogo difícil, como serão todos os que faltam. Mas há um foco fundamental sobre o que queremos fazer. É importante os jogadores sentirem que podem ser protagonistas do jogo, respeitando o Portimonense. Espero uma excelente resposta no jogo seguinte para ganharmos embalo e conseguirmos os objetivos no final", frisou.

Campeão nacional por quatro vezes como jogador, ao serviço de FC Porto e Sporting, Bino Maçães disse ainda que a oportunidade na I Liga só é possível graças aos jogadores da equipa B, "que colocaram em prática" as suas ideias, e também ao presidente, Miguel Pinto Lisboa.

O responsável máximo do Vitória passou uma mensagem de "força e coragem" ao treinador, antes da projeção duelo com os algarvios, tendo dito que é nos "momentos difíceis" que se mostra o "caráter dos homens" e que "os vitorianos têm de estar unidos" face ao "ruído" em torno da vida do clube.

"Não podemos ceder ao ruído. Temos lidado de forma tranquila com o que vem do exterior. Neste momento, temos é de estar focados nos objetivos que temos de atingir", disse, prometendo "esclarecimentos" aos sócios "na hora e no lugar certos".

O Vitória de Guimarães, sexto classificado da I Liga, com 35 pontos, defronta o Portimonense, 12.º, com 26, em partida da 26.ª jornada, agendada para as 20:00 de sexta-feira, no Estádio Municipal de Portimão, com arbitragem de Manuel Oliveira, da Associação de Futebol do Porto.