Portugal
Do "ceguinho" às "favas contadas", Álvaro lamenta gestão desportiva do Benfica
Redação
2021-02-23 09:30:00
Ex-jogador encarnado entende que águias não se devem justificar com arbitragens

O Benfica está em 'maus lençóis' nesta temporada e o ambiente é tenso com várias figuras ligadas ao passado do clube a velarem críticas à forma como a época foi planeada.

Álvaro Magalhães, antigo jogador e ex-adjtundo do Benfica, não alinha na lógica de que os 100 milhões investidos seriam o reflexo de um 'passeio' encarnado no campeonato e diz que na Luz se pensou que "seriam favas contadas".

"Não é assim", assegurou Álvaro Magalhães, desagradado com algumas contratações que o Benfica não fez de jogadores do campeonato nacional, em particular uma que as águias permitiram ao Sporting.

"Olho para o Sporting e contratam jogadores de grande qualidade em Portugal. Só um ceguinho não via a qualidade no nosso campeonato, o Pedro Gonçalves e o Nuno Santos, que foi do Benfica. Como é possível deixar fugir um jogador como estes?", interroga Álvaro Magalhães, em alusão ao facto de o Benfica ter dado 'luz verde' para que Nuno Santos fosse do Rio Ave para Alvalade, onde se tornou numa das figuras da temporada verde e branca. Nuno Santos, recorde-se, já jogou no Benfica, clube que detinha uma percentagem do seu passe.

Mas as críticas de Álvaro Magalhães ao Benfica não se resumem à gestão desportiva mas passam também pela comunicação, lamentando o ex-jogador que o clube da águia se esteja a queixar das arbitragens.

"Não vamos por aí, até porque são todos penalizados", aconselhou Álvaro Magalhães, destacando, todavia, que o Benfica "tem sido prejudicado em alguns jogos".

Esperando que os encarnados consigam ultrapassar o Arsenal nos 16 avos de final da Liga Europa, Álvaro Magalhães referiu ainda que no campeonato o Benfica pode 'atirar a toalha ao chão'.

"O campeonato é para esquecer, só com uma catástrofe é que o Sporting deixa fugir o campeonato", vaticinou o ex-futebolista do Benfica, em declarações na Renascença.

Imbatíveis no campeonato, onde somam 17 vitórias e três empates, os leões somaram mais três pontos na última ronda frente ao Portimonense, no último sábado, ao adiantaram-se no marcador aos 27 minutos, através do central marroquino Feddal, em recarga a um primeiro remate, com o extremo Nuno Santos, aos 31, a sentenciar, depois de aproveitar um erro defensivo, com um vistoso trabalho individual.