Portugal
"Diziam que o Benfica nem para Portugal, que tinha de jogar no estrangeiro"
2024-03-11 15:50:00
"O Rui Costa colocou a Liga dos Campeões como uma hipótese", recorda antigo jogador do FC Porto

A contestação a Roger Schmidt tem sido uma constante nas últimas semanas na Luz e onde o Benfica joga. As opções do treinador e algumas escolhas para o modelo ou jogadores em campo não têm merecido entendimento por parte do 'Terceiro Anel'.

Ainda no jogo contra o Estoril foram audíveis assobios e contestação ao treinador encarnado, nomeadamente com uma mensagem colocada num dos topos do Estádio da Luz.

"Danke und tschüss", podia ler-se numa tarja que foi colocada junto dos No Name Boys, com a frase em alemão a querer dizer, em português, "obrigado e adeus".

"Diziam que o Benfica tinha de jogar no estrangeiro", lembra Amaral sobre críticas a Schmidt

Também durante o jogo se viu uma outra em que dizia "ninguém está acima do Benfica", isto num contexto em que a equipa encarnada procurava sarar as feridas dos desaires recentes e voltar a ter exibições que agradem aos benfiquistas.

Questionado no final do jogo, Roger Schmidt disse que nem deu conta de nada do que se passou nas bancadas. Ou seja, os avisos dos adeptos passaram-lhe ao lado.

"Para ser honesto, não reparei em nada. Não posso comentar esse assunto", afirmou Roger Schmidt, em conferência de imprensa depois da vitória.

Já antes da partida contra os canarinhos, Jorge Amaral, antigo jogador do FC Porto, comentava o contexto em que a contestação ao Benfica se tem vindo a fazer sentir, particularmente ao treinador.

"Alguns comentadores afetos ao Benfica diziam que esta equipa nem para Portugal, tinha que jogar no estrangeiro. Era demais para aqui. O resto do campeonato não existia", recordou o ex-futebolista dos azuis e brancos na CMTV.

"O Rui Costa colocou a Liga dos Campeões como uma hipótese"

Perante as expectativas que se criaram em relação ao Benfica, Amaral entende algum descontentamento dos benfiquistas. Até porque, lembrou o antigo jogador dos azuis e brancos, o próprio presidente colocou a fasquia elevada.

"O Rui Costa colocou a Liga dos Campeões como uma hipótese. É claro que isso gerou expectativas enormes", recordou Jorge Amaral, ex-jogador do emblema da cidade Invicta.

"Agora vê-se nas competições europeias, em oito jogos, tem quatro derrotas, duas vitórias e dois empates. Aquilo é tudo muito curto quanto os adversários apertam. O Benfica desaparece", comentou ainda o antigo futebolista.

Apesar de tudo, este considera que no Benfica "as coisas têm andado" e a águia chega a esta fase da temporada com vários objetivos ainda em aberto.