Portugal
“Dizem que só dava porrada mas estive no top. Outros ficaram em clubes modestos"
Redação
2021-04-03 13:10:00
Petit e uma declaração curiosa, durante a conferência de imprensa de antevisão do jogo com o Boavista 

O treinador do Belenenses SAD fez a antevisão do jogo com o Boavista, que se disputa no domingo, mas na conferência de imprensa de hoje Petit não se ficou pela análise dessa partida. Pelo contrário. Confrontado com os elogios que recebeu, por parte do defesa dos azuis Tomás Ribeiro, o técnico revelou que os melhores elogios são precisamente aqueles que partem dos jogadores. E Petit falou sobre a sua carreira de futebolista. 

Não sou muito comercial, na comunicação social. Posso dizer que o melhor elogio é aquele que recebo dos jogadores”, começou por afirmar, congratulando-se pelas palavras do defesa e, sobretudo, pelo facto de a sua mensagem, no balneário, passar com eficácia.  

Petit recorda que “não é só no relvado que se trabalha” e que fora dele há muito trabalho técnico para fazer – desde logo, lidar com diferentes mentalidades, culturas, e transformar essa diversidade em união. E a partir desta ideia o antigo médio parte para o ataque, com a agressividade e o respeito que o caraterizavam. 

“O mais importante é o elogio do jogador. E fico feliz por me valorizarem. É que, às vezes, quando chego a uma equipa, sinto que existe uma ideia errada a meu respeito. Dizem que só dava porrada, mas estive no top das equipas, cheguei à seleção nacional... Outros ficaram em clubes modestos, com todo o respeito”, dispara Petit.   

O treinador do Belenenses SAD fala para a comunicação social e sobre a comunicação social. E lamenta não ter tido o reconhecimento, no passado, que Tomás Ribeiro agora demonstra. Sobre esses “outros jogadores” que não passaram de clubes modestos a comunicação social tem sido mais generosa, no entendimento de Petit: “Dizem que esses foram grandes jogadores e eu não passei de um jogador normalíssimo. Por isso, o maior elogio que posso receber é aquele que parte dos meus jogadores”, concluiu.  

Petit garante que, no balneário, é um técnico compreensivo e consegue transmitir essa ideia de que todos são fundamentais. “Não sou muito chato com os jogadores. A trabalhar com eles vou crescendo como treinador, porque os jogadores também me obrigam a melhorar. É fundamental obter um feedback positivo deles”, complementa o técnico.  

O Belenenses SAD defronta o Boavista, amanhã, jogo que marca um novo reencontro de Petit com um clube que bem conhece, de onde deu o salto para o Benfica, depois de se ter sagrado campeão nacional, no único título da história do emblema axadrezado. O técnico diz que a equipa está preparada.