Portugal
"Deixa alguma tristeza a desvalorização do nosso trabalho", lamenta Jorge Costa
Redação
2021-04-09 13:45:00
Na antevisão do jogo com o Marítimo, o técnico do Farense manifestou-se triste pelas análises ao embate com o SC Braga

O treinador Jorge Costa disse hoje que o Farense quer manter a “qualidade de jogo elevada”, evidenciada nas últimas partidas na I Liga, na deslocação de sábado ao terreno do Marítimo, num jogo entre aflitos.

"Jogaremos da mesma forma como nos temos vindo a apresentar nos últimos jogos - e bem. A qualidade de jogo elevada, a organização também. Nos dois últimos jogos, fizemos coisas muito interessantes e, portanto, queremos dar continuidade àquilo que de bom temos vindo a fazer", afirmou o técnico, na antevisão à partida, que colocará frente a frente dois dos três últimos classificados.

Jorge Costa reconheceu que as duas equipas "partem pressionadas, numa altura em que faltam nove jogos", mas ressalvou que, "independentemente do resultado que aconteça para um ou para o outro lado, nada ficará decidido nesta jornada".

Depois da vitória sobre o Boavista (1-0), a equipa algarvia deixou fugir um ponto na receção da passada segunda-feira ao Sporting de Braga (derrota por 2-1), nos ‘descontos’, com Sporar a apontar o segundo golo dos minhotos, aos 90+1 minutos.

"Temos consciência daquilo que fizemos e do belíssimo jogo que fizemos contra o SC Braga. A única nota que me deixa alguma tristeza, ou alguma surpresa, é a desvalorização do nosso trabalho e muita gente se ter focado naquilo que o SC Braga não fez. Não fez exatamente porque nós não o permitimos", salientou o treinador do Farense.

Sem querer falar em "vitórias morais", Jorge Costa partilhou o sentimento que se vive no balneário: "Estamos todos conscientes de que este é o caminho que nos irá trazer grandes alegrias."

Sobre o Marítimo, o responsável do conjunto de Faro assumiu que "é complicado nesta fase ter uma opinião 100% formada" sobre o adversário, que nos três jogos sob comando do novo treinador, Julio Velazquez, com uma paragem da competição pelo meio, teve "sistemas diferentes e resultados diferentes".

"Parece-me que vamos ver um Marítimo mais próximo do jogo que fez no Estádio da Luz, mas, sim, esta mudança de treinador veio complicar um pouco aquilo que é a ideia que possamos ter do Marítimo. Portanto, neste jogo, o nosso grande foco, um pouco como o habitual, mas muito mais, será aquilo que o Farense tem de fazer", concluiu.

O Marítimo, 17.º e penúltimo classificado, com 21 pontos, recebe o Farense, 16.º, com 22, em jogo marcado para sábado, às 15:00, no Estádio do Marítimo, no Funchal, com arbitragem do bracarense Manuel Mota.