Portugal
“Conluio de Textor com Vieira é um perigo. Nem Vale e Azevedo faria melhor”
2021-09-09 17:45:00
Bruno Costa Carvalho denuncia “assalto em marcha” para “tomar o Benfica à força”

A proposta de 5,878 milhões de euros pelos 3,28 por cento da SAD do Benfica que pertencem a Luís Filipe Vieira, comunicada pelo ex-presidente à atual direção das águias, voltou a agitar o clube num momento em que se ‘contam espingardas’ para as próximas eleições, marcadas para 9 de outubro.

Vieira comunicou a proposta, devido ao direito de preferência que o Benfica tem sobre as ações do ex-presidente, mas não revelou quem fez tal proposta. Para Bruno Costa Carvalho, candidato derrotado em 2009 e que nas eleições de 2020 chegou a avançar com uma lista (viria a desistir antes da votação), não há qualquer dúvida de que esses 5,878 milhões foram oferecidos pelo empresário norte-americano John Textor.

“John Textor quer tomar o Benfica à força e pelos vistos tinha um acordo secreto com Vieira e o rei dos frangos para comprar 25 por cento da SAD do Benfica. Isso já sabemos e a operação continua bem viva. O que não sabemos é quais serão os passos seguintes, mas percebe-se que esta sede pelo Benfica não ficaria saciada com esses 25 por cento”, comentou o ex-candidato.

Bruno Costa Carvalho lembrou que na história do Benfica já houve um “assalto” ao poder, liderado por Joe Berardo. O problema, apontou, é que a entrada de Textor será mais perigosa para o Benfica. “Há uns anos o multimilonário da moda à época – Joe Berardo – quis tomar o Benfica de assalto”, recordou: “A história repete-se, mas ainda com mais perigo”.

O comentário do ex-candidato, feito numa publicação nas redes sociais, surge horas depois do Benfica comunicar que teve um prejuízo de 17,4 milhões de euros no exercício de 2020/21, tendo agravado o passivo em mais de 53 milhões de euros. Números que se devem ao “conluio de Luís Filipe Vieira e, provavelmente, de Domingos Soares de Oliveira” com John Textor, no entender de Bruno Costa Carvalho.

“Tudo me parece incrivelmente orquestrado: contas más, necessidades financeiras e um multimilionário que vem ‘salvar’ o Benfica, tornando-o no novo PSG... O pior é se o torna no novo Valência ou no novo Málaga”, alertou.

Perante o “perigo” que representa a entrada de John Textor no capital da SAD do Benfica, o candidato derrotado em 2009 apelou a Rui Costa para dar publicamente “a total garantia” de que o clube será sempre o acionista maioritário.

“Sinceramente, este Textor parece-me um perigo e isso passa-se com a conivência de alguém que foi tantos anos presidente do Benfica. Uma tristeza... Nem Vale e Azevedo faria melhor”, finalizou Bruno Costa Carvalho.

De acordo com fonte do Benfica, a direção vai reunir-se “nos próximos dias” para decidir se exerce o direito de preferência sobre os 753.615 títulos da SAD encarnada na posse de Luís Filipe Vieira.

O ex-presidente do Benfica foi um dos quatro detidos no início de julho numa investigação que envolve negócios e financiamentos superiores a 100 milhões de euros, com prejuízos para o Estado, SAD do Benfica e Novo Banco e está indiciado por abuso de confiança, burla qualificada, falsificação de documentos, branqueamento de capitais, fraude fiscal e abuso de informação.