Portugal
Cassierra aponta oito ‘finais’ cruciais para objetivos da Belenenses SAD
Redação
2021-04-13 14:20:00
Cassierra apontou o golo do empate na visita a Braga

O avançado Mateo Cassierra considerou hoje que se encontra num “bom momento pessoal e coletivo” no Belenenses SAD e frisou a importância das oito ‘finais’ que faltam disputar na I Liga portuguesa de futebol.

“É um bom momento pessoal e coletivo. Estamos a fazer as coisas bem, faltam oito jogos e, para nós, é importante poder ganhar muitos pontos e cumprir o nosso objetivo, que é evitar a descida [de divisão]”, expressou o colombiano, em conversa ‘online’ com a imprensa, no dia em que celebra 24 anos.

Os derradeiros jogos do campeonato “vão ser muito mais difíceis do que os do início”, entende, mas a união do plantel e a adaptação ao sistema tático facilitam o trabalho, onde, para Cassierra, a diferença “está em acreditar, não dar por vencido e lutar dentro de campo”.

“Temos vindo a jogar com este sistema [com três centrais] desde a temporada passada e todos entendemos o que o Petit quer. Queremos o mesmo. Temos feito grandes jogos, mas, em alguns, não conseguimos ganhar”, indicou.

Cassierra apontou o golo do empate na visita ao Sporting de Braga, na 26.ª jornada da I Liga, que permitiu aos ‘azuis’ conquistarem um ponto na luta intensa pela manutenção, mas, apesar de, enquanto avançado querer sempre marcar, apontou o foco para os objetivos globais.

“Cada jogo é diferente. O mais importante é que, no final, a equipa ganhe. Se tiver a oportunidade de marcar, melhor”, disse, acrescentando: “A cada dia, sinto-me muito melhor. No ano passado, marquei quatro golos na I Liga. Este ano, levo cinco. Quero melhorar e, a cada jogo, dar o máximo e ajudar a equipa”.

O treinador Petit tem elogiado o dianteiro, realçando a sua qualidade e o bom jogo entre linhas, embora referindo, após o encontro com o Sporting de Braga, que “lhe falta profundidade”.

“Um dos meus pontos fortes é jogar muito no apoio. O Petit pede-me profundidade, devido à velocidade que tenho. O mais importante é fazer o que o ‘professor’ me pede e adaptar-me ao que a equipa quer”, vincou.

Tendo o compatriota Radamel Falcao como principal referência, Cassierra afirmou que vir para Portugal “foi a melhor decisão” que tomou, oriundo dos holandeses do Ajax, onde fez parte do plantel que alcançou a final da Liga Europa, perdida para o Manchester United (2-0), em 2016/17, então apenas com 20 anos e a jogar maioritariamente na equipa B.

“[Portugal] É um futebol muito forte fisicamente, os jogos são muito difíceis. O campeonato da Holanda não é tão competitivo como o de cá, em que as equipas são boas. Estou muito feliz”, manifestou, realçando que não sabe o que o futuro lhe reserva, embora tenha como metas “estar em clubes grandes” e disputar a Liga dos Campeões.

O Belenenses SAD, que ocupa a 14.ª posição, com 27 pontos, prepara a receção ao Marítimo, 16.º, com 24, aprazada para sábado, às 12:45, no Estádio Nacional, em Oeiras, a contar para a 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.