Portugal
"Benfica pior não pode fazer", avisa Cajuda
2021-01-13 13:15:00
Técnico lança o clássico e dá "ligeiro favoritismo" à equipa de Conceição

FC Porto e Benfica defrontam-se na sexta-feira, no Estádio do Dragão, naquele que será um novo clássico nesta temporada e para o qual Manuel Cajuda diz que os dragões partem com "ligeiro favoritismo".

O experiente treinador português sustenta a sua ideia não apenas naquilo que a equipa de Sérgio Conceição tem vindo a fazer nos confrontos recentes mas também naquilo que é um período de menor fulgor dos encarnados, orientados por Jorge Jesus.

Manuel Cajuda tem visto um FC Porto de "compromisso" e um "Benfica intranquilo" ao longo da época, admitindo mesmo que a equipa lisboeta precisa pontuar dado que o campeonato tem sido renhido na frente.

"O Sporting está forte, o SC Braga está forte, o FC Porto está forte e o Benfica, tudo indica, que venha a ser. Até porque pior não pode fazer, tem de melhorar", diz Manuel Cajuda.

O técnico acredita ainda que o facto de o FC Porto ter jogado um prolongamento na Madeira frente ao Nacional para a Taça de Portugal não terá reflexo no clássico.

"O tempo de recuperação é aceitável. Tem ligeira vantagem o Benfica, já que o esforço da equipa que irá apresentar não foi elevado nas últimas horas. Mas, o que no fundo vai separar o jogo é o conteúdo, e o FC Porto tem sido melhor", explicou Cajuda na Renascença.

Embora considere ainda que se alguém perder não está fora da corrida ao título, o técnico avisa que um desaire "pode deixar alguma debilidade".

O FC Porto procura conseguir na sexta-feira o quinto triunfo consecutivo frente ao Benfica, na ronda 14 da I Liga, algo que nenhuma das duas formações alcançou no clássico, em quase 90 anos de história.

As equipas voltam a cruzar-se depois de, há menos de um mês, a 23 de dezembro de 2020, o FC Porto ter vencido os encarnados por 2-0, em Aveiro, na Supertaça Cândido de Oliveira, graças aos golos de Sérgio Oliveira, aos 25 minutos, de penálti, e do suplente colombiano Luis Díaz, aos 90.

De resto, para Luis Díaz e Otávio sobram elogios de Manuel Cajuda, que diz que os jogadores portistas têm "tido muita preponderância" no jogo dos azuis e brancos.