Portugal
Benfica critica "flagelo" dos penáltis "concedidos aos rivais"
Redação
2021-03-16 14:35:00
Águias dizem que na última jornada se "constatou novamente" esta situação

O Benfica volta à carga no tema das grandes penalidades e, após nova ronda do campeonato, estranha a ausência de castigos máximos assinalados a seu favor, dando conta, por outro lado, que os rivais têm tido a oportunidade de apontarem penáltis ao longo desta Liga.

Depois de uma jornada em que o Benfica viu um penálti assinalado pelo árbitro ser anulado após consulta do videoárbitro [Manuel Mota, árbitro do encontro, assinalou grande penalidade e mostrou amarelo a Chidozie, do Boavista, por derrube de Luca Waldschmidt mas depois expulsou o central axadrezado e assinalou falta fora da área], as águias criticam as decisões dos árbitros nos jogos dos rivais. 

"Mantém-se a aparente impossibilidade da existência de grandes penalidades favoráveis ao Benfica, um flagelo que só encontra paralelo na facilidade com que são concedidas aos nossos rivais, aliás, conforme se constatou novamente na última jornada", pode ler-se na newsletter encarnada, publica nesta terça-feira.

Ainda que sem mencionar, o Benfica refere-se claramente ao penálti assinalado a favor do SC Braga, próximo adversário das águias no campeonato, em Famalicão na noite de segunda-feira, dado que nos jogos de FC Porto e Sporting não foram assinalados penáltis nesta ronda.

No encontro entre Famalicão e SC Braga, que terminou empatado a duas bolas, o árbitro assinalou um castigo máximo a favor dos guerreiros do Minho que tem causado polémica.

Os famalicenses venciam por 1-0 quando, já perto do intervalo, Ricardo Horta caiu na área do Famalicão. Imediatamente, o árbitro assinalou penálti, por considerar que Gustavo Assunção tinha cometido falta sobre o jogador bracarense.

Chamado a analisar o lance para destacar se houve toque de Gustavo Assunção ou se se tratou de uma simulação de Ricardo Horta, o VAR validou a decisão do árbitro Manuel Oliveira. E Ricardo Horta marcou o golo que na altura valeu o empate a uma bola.

Ainda antes do intervalo, a formação treinada por Carlos Carvalhal chegaria ao golo da vantagem, por Al Musrati que, ao segundo poste na sequência de uma bola parada, rematou para o segundo golo bracarense. No segundo tempo, o Famalicão acabaria por chegar ao empate, terminando a partida com uma igualdade.

O SC Braga saiu de Famalicão com um ponto mas sem a vice-liderança do campeonato, uma vez que a igualdade permitiu a ultrapassagem do FC Porto e, ao mesmo tempo, uma aproximação do Benfica na classificação isto a poucos dias de as duas equipas se cruzarem no relvado do Estádio Municipal de Braga, em partida da 24.ª jornada da Liga NOS.