Portugal
Benfica com mais 26 triunfos nos dérbis com Sporting e pleno na época passada
2021-01-31 11:40:00
Último triunfo dos leões ocorreu em abril de 2019

O Benfica soma mais 26 triunfos do que o Sporting no histórico futebolista do ‘dérbi dos dérbis’, depois de disputados 309 jogos, desde 01 de dezembro de 1907, e fez o pleno na época passada.

Os ‘encarnados’ chegaram em desvantagem ao início da década de 70 do século passado, mas, depois disso, ostentam um intenso domino nos embates face aos ‘verde e brancos’, que tem sido cada vez mais expressivo.

Na segunda década do século XXI, o Benfica conseguiu a margem mais ‘esmagadora’ em qualquer período de 10 anos, ao somar 15 vitórias, contra apenas cinco dos ‘leões’, o seu pior registo absoluto desde o período entre 1910/11 a 1919/20.

O derradeiro triunfo dos ‘leões’, que é o único nos últimos 12 encontros, aconteceu em 03 de abril de 2019, dia em que o Sporting venceu o Benfica por 1-0, na segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal.

Depois de um desaire na Luz por 2-1, a formação ‘leonina’ qualificou-se para a final graças a um golo de Bruno Fernandes, apontado aos 75 minutos.

Essa é, porém, a exceção à regra, já que o domínio dos ‘encarnados’ é quase absoluto depois das três vitórias consecutivas dos ‘verde e brancos’ a abrir a época 2015/16, sob o comando de Jorge Jesus.

Após seis anos na Luz, Jesus mudou-se para Alvalade e venceu os três primeiros dérbis (1-0 na Supertaça, no Algarve, 3-0 no regresso à Luz e 2-1, após prolongamento, para a quarta ronda da Taça de Portugal).

Após essas três ‘facadas’, o Benfica respondeu com um triunfo por 1-0 em Alvalade, graças a um golo do grego Mitroglou, que acabou por ser decisivo para sentenciar o campeonato de 2015/16 a favor dos comandados de Rui Vitória.

Nas duas épocas seguintes, os ‘encarnados’ encontraram o ‘antídoto’ para ‘travar Jesus: em 2016/17, venceram em casa por 2-1 e empataram 1-1 fora e, em 2017/18, registaram-se duas igualdades, a um na Luz e a zero em Alvalade.

Em 2018/19, José Peseiro veio à Luz empatar (1-1) o Benfica, salvo por João Félix, para o campeonato, mas, já com Bruno Lage ao comando, os ‘encarnados’ responderam em Alvalade, perante a equipa de Marcel Keizer, com um 4-2 com ‘sabor a pouco’.

Ainda na mesma época, o Benfica impôs-se na Luz para as meias-finais da Taça de Portugal, mas por um 2-1 que se veio a revelar curto, pois, na segunda mão, em Alvalade, o Sporting venceu por 1-0, na ‘tal’ única vitória em 12 jogos.

Na época passada, os ‘encarnados’, ainda de Lage, começaram com uma ‘manita’ no Algarve, onde golearam a equipa ‘leonina’ por 5-0, com tentos de Rafa (40 minutos), Pizzi (60 e 75), Grimaldo (64) e Chiquinho (90), para arrebatar a Supertaça.

Em Alvalade, na última ronda da primeira volta, o Benfica voltou a impor-se, agora perante o ‘onze’ de Jorge Silas - que substituiu Kaizer, muito marcado pelo 0-5 -, num 2-0 selado por um ‘bis’ de Rafa, que marcou aos 80 e 90+9 minutos.

Já em plena pandemia da covid-19, no primeiro ‘dérbi’ à porta fechada, na Luz, o Sporting, liderado por Rúben Amorim, precisava de não perder para segurar o terceiro lugar da I Liga, na última ronda, mas caiu por 2-1.

O esloveno Sporar ainda ‘anulou’, aos 69 minutos, o tento inicial do suíço Seferovic, aos 28, mas os comandados de Nélson Veríssimo acabaram por chegar ao triunfo quase sobre o final, aos 88, graças a um tento do brasileiro Vinícius, o 19.º na prova, para vencer isolado o título dos marcadores.

Com a recente supremacia, o Benfica soma agora mais 26 triunfos (135 contra 109) no ‘dérbi’, que também ostenta 65 empates, em 309 jogos, da I Liga, Taça de Portugal, Taça da Liga, Supertaça, Campeonato de Portugal e Regional de Lisboa.

O conjunto da Luz também comanda nos golos, com 523, liderado pelos 27 do ‘rei’ Eusébio, enquanto os ‘leões’ somam 470, quase meia centena, mais precisamente 48, da autoria de Fernando Peyroteo, o melhor marcador do dérbi.

No que respeita apenas ao campeonato, o Benfica tem ainda uma vantagem mais marcante, com 80 triunfos, contra apenas 47 dos ‘leões’ (295-232 em golos), sendo que até ‘reina’ em Alvalade, por um triunfo (33-32) e um golo (125-124).

Os ‘encarnados’ também comandam na Taça da Liga (2-0), enquanto os ‘verde e brancos’ lideram na Taça de Portugal (19-16) e na Supertaça (3-2) e também fecharam em vantagem o Campeonato de Portugal (3-2) e o Regional de Lisboa (37-33).

A equipa sportinguista ganhou os dois jogos inaugurais, o primeiro em 01 de dezembro de 1907, por 2-1, face ao ainda Sport Lisboa, no Campo da Quinta Nova, em Carcavelos, onde, segundo as crónicas da altura, os seus jogadores fugiram da chuva e só voltaram obrigados pelo árbitro.

Apesar desse desaire, os ‘encarnados’ ganharam (4-2) o conjunto dos poucos jogos (seis) realizados na primeira década do século XX, assumindo uma superioridade ainda maior na segunda, com 13 triunfos, contra apenas cinco dos ‘leões’.

As ‘águias’ chegaram a ter mais 10 vitórias, só que o Sporting respondeu: foi melhor nas quatro décadas seguintes e no final da temporada 1949/50 já tinha dado a volta ao histórico (56 triunfos, contra 54 do Benfica).

O melhor período do Sporting foi a década de 40, com mais de 50% de vitórias (21, em 40) e 101 golos - recorde em qualquer década -, em pleno reinado dos ‘cinco violinos’ (Peyroteo, Vasques, Albano, Travaços e Jesus Correia).

Depois, o clube da Luz passou a dominar por completo e reinou nas quatro décadas seguintes, sobretudo na de 70, ainda como o ‘Pantera negra’ Eusébio da Silva Ferreira a ditar leis: 15 triunfos em 27 jogos (55,6 por cento).

O Sporting equilibrou na primeira década do século XXI (oito triunfos para cada lado e outros tantos empates), mas, na segunda, o Benfica foi implacável, com 15 vitórias, contra apenas cinco, e 43 golos marcados, contra 24.