Portugal
Belenenses SAD, reduzido a 10 desde os três minutos, empata com Rio Ave
Redação
2021-03-21 17:10:00
Stanislav Kritciuk foi expulso, mas equipa de Petit consegue somar um ponto

Rio Ave e Belenenses empataram hoje sem golos, em partida 24.ª jornada da I liga portuguesa de futebol, em que os vila-condenses não aproveitaram o facto de jogarem em superioridade numérica quase todo o jogo.

Os lisboetas ficaram, logo aos três minutos, sem o guarda-redes Kritiuk, expulso com vermelho direto após uma entrada sobre um adversário, mas conseguiram, com coesão, resistir à constante pressão dos nortenhos, que não mostraram recursos para desfazer o nulo.

Com este resultado, o Rio Ave, que somou o segundo empate consecutivo, mantém o nono lugar, com 27 pontos, mais um do que o Belenenses, que surge logo a seguir, no 10.º posto, mantendo uma série com apenas uma derrota nos últimos oito jogos.

Neste desafio, os lisboetas até ficaram condicionados praticamente desde o início, com a expulsão do guarda-redes Kritciuk, após derrubar Rafael Camacho à entrada da área, quando o atacante do Rio Ave seguia isolado.

Perante a contrariedade inicial, o técnico Petit abdicou de Varela no ataque, para lançar no jogo o guardião André Moreira e apostou numa postura de maior contenção, formando duas linhas compactas para travar as investidas dos vila-condenses, que sentiam dificuldades em encontrar brechas.

Apesar da ação do desafio ficar concentrada na área do Belenenses, as situações de perigo escasseavam, e só depois da meia hora o Rio Ave conseguiu esboçar o seu primeiro remate, num 'tiro' de Filipe Augusto, que saiu um pouco ao lado.

Do outro lado, os forasteiros, apesar de mais concentrados nas tarefas defensivas, ainda causavam alguns calafrios sempre que exploravam o contra-ataque, aproveitando o adiantamento do adversário e conseguindo a sua melhor oportunidade numa escapada de Miguel Cardoso, que culminou com um remate a lado.

Depois do nulo se ter arrastado até ao intervalo, a segunda metade manteve a toada de domínio do Rio Ave, mas com um futebol mais ritmado na tentativa de encontrar espaços, proporcionando alguns remates à baliza do Belenenses.

Os lisboetas também contribuíram para um jogo mais interessante nesta etapa complementar, mostrando-se mais atrevidos a sair para o ataque, e, em certos momentos, até esbateram o facto de jogarem desde cedo em inferioridade numérica.

Um par de iniciativas de Diogo Calila e Miguel Cardoso ainda obrigaram o guarda-redes da casa a defesas apertadas, mas a melhor oportunidade até então acabou por pertencer ao Rio Ave, num cabeceamento de Gelson Dala, aos 64, devolvido pelo poste.

O lance galvanizou os nortenhos, que intensificaram a pressão para a ponta final, mas, apesar de mais rematadores, os locais não tiveram efeitos práticos, perante um Belenenses que manteve a coesão e até ameaçou o desfazer do nulo, num rente de Tiago Esgaio, que Kieszek defendeu, mantendo o 0-0 final.