Portugal
"Atrás da devoção e empenhamento no FC Porto estava um esquema"
2024-05-17 12:50:00
"Afinal, eram juras de amor remuneradas. Juras de amor mercenárias", diz ex-dirigente sportinguista Barbosa da Cruz

Os Super Dragões enfrentam um dos piores momentos desde a sua criação. Com o líder da claque preso preventivamente e outros destacados elementos deste grupo a contas com a justiça, André Villas-Boas terá de tomar decisões quanto à continuidade do protocolo existente entre o FC Porto e este grupo de adeptos, ou os moldes em que novo acordo se poderá estabelecer.

Depois da Operação Pretoriano, que levou à prisão de Fernando Madureira e de Hugo Carneiro [Polaco], mas também a medidas de coação para Sandra Madureira, vice-presidente dos Super Dragões, agora é a Operação Bilhete Dourado que coloca sombras a pairar sobre os Super Dragões.

"Esquema" da claque "atrás da devoção e empenhamento no FC Porto"

Carlos Barbosa da Cruz, advogado e antigo dirigente do Sporting, mostra-se admirado com as suspeitas que as autoridades têm a respeito de um alegado esquema de venda de bilhetes para jogos do FC Porto.

O presidente do Grupo Strom fala em "devoções mercenárias" no apoio ao FC Porto. "Afinal, quem tanto fazia juras de amor pelo FC Porto eram juras de amor remuneradas", comentou Carlos Barbosa da Cruz.

"No fundo, atrás desta devoção e empenhamento no FC Porto estava todo um esquema financeiro que alimentava. Isto ofende o sócio pagante", disse Carlos Barbosa da Cruz, na CMTV, falando em "hipocrisia".

"Fica claro, digamos, alguma hipocrisia nas juras de amor ao FC Porto que se faziam. Eram juras de amor mercenárias", vincou o presidente do Grupo Stromp sobre a investigação das autoridades que está em curso.

A respeito deste tema, anteriormente, já foram realçadas dúvidas sobre os "sinais exteriores de riqueza do líder da claque", até porque "no Porto chove mas não chovem euros".

"Fica claro, digamos, alguma hipocrisia nas juras de amor ao FC Porto que se faziam"

Super Dragões falam em "intoxicação mediática"

Em sua defesa, através de comunicado, os Super Dragões falaram em "intoxicação mediática" e asseguram que tudo fazem dentro do protocolo estabelecido com a SAD portista.

Na nota publicada pelos Super Dragões, o grupo realça que a SAD encaminha "bilhetes de ingresso para os jogos a realizar no Estádio do Dragão a um preço máximo de 20 por cento acima do preço estabelecido para sócios".

Também é fornecido "apoio logístico na organização de deslocações nos jogos a disputar na condição de visitante", sendo que a SAD tem com os Super Dragões uma indicação de que devem tentar obter bilhetes juntos dos clubes adversários "a um preço mais baixo relativamente ao preço estabelecido para o público em geral".