Portugal
"As pessoas querem conflitos para serem faladas", diz Sousa Cintra
2021-02-09 13:10:00
"Não vale a pena embandeirar em arco", refere ex-presidente sobre candidatura ao título

José de Sousa Cintra, antigo presidente do Sporting, concorda com a forma de comunicar de Rúben Amorim, que continua sem assumir a candidatura verde e branca ao título.

"Os sportinguistas não querem falar antes do tempo, porque ainda falta jogar a segunda volta do campeonato. Não vale a pena neste momento estarmos a embandeirar em arco", diz Sousa Cintra, considerando que Amorim "está a ter um discurso muito bom".

"Um discurso de cautela mas de confiança. Tudo pode acontecer, já aconteceu no passado alguns clubes estarem na frente e acabaram por não ficar em primeiro lugar, por isso não vale a pena dizermos que vamos ser campeões, mas vamos lutar por isso, estamos na corrida", afiançou o ex-líder do clube de Alvalade.

Sousa Cintra aproveita o momento dos leões para elogiar o plantel orientado por Rúben Amorim, que segue no primeiro lugar da classificação portuguesa.

"Parabéns ao treinador e aos jogadores, porque dá gosto ver o Sporting a jogar", referiu, antes de reagir às críticas recentes dos adversários diretos dos leões relativamente às arbitragens.

"O Sporting tem sido o clube mais prejudicado por isso não entendo como é que os nossos rivais falam dessa maneira das arbitragens, quando o Sporting é que se devia queixar".

Na Renascença, Sousa Cintra disse ainda que "os árbitros têm de ter um papel importante" e "errar é próprio dos homens". Porém, "errar sempre a favor deste ou daquele clube não pode ser".

Neste caso, Sousa Cintra insiste que "o Sporting tem sido muito prejudicado" e diz que as confusões depois dos jogos "só servem para criticar a arbitragem".

"Ninguém ganha com guerras", destaca Sousa Cintra, lamentando que o caso Palhinha ainda dê que falar, na sequência de uma decisão que a Federação Portuguesa de Futebol pretende ver analisada.

"Era uma situação que podiam ter evitado, porque o Sporting tem toda a razão, mas as pessoas querem conflitos para serem faladas, mas sem razão absolutamente nenhuma. O Sporting está dentro da legalidade e tem de estar tranquilo".

A Federação Portuguesa de Futebol, recorde-se, vai recorrer para o Supremo Tribunal Administrativo do provimento dado à providência cautelar apresentada pelo jogador do Sporting Palhinha, pelo Tribunal Central Administrativo do Sul.

Na sexta-feira, o Conselho de Disciplina (CD) da FPF apresentou uma exposição ao Conselho Superior dos Tribunais Administrativos e Fiscais sobre a suspensão do castigo imposto ao médio do Sporting, por ter completado uma série de cinco cartões amarelos, que possibilitou a utilização de Palhinha no jogo frente ao Benfica.

Palhinha viu o quinto amarelo na visita dos leões ao Boavista (vitória do Sporting por 2-0), a 26 de janeiro, tendo o provimento da providência cautelar permitido que fosse utilizado pelo treinador Rúben Amorim na vitória frente ao rival Benfica, por 1-0, no dérbi da 16.ª jornada da I Liga, a partir dos 61 minutos, depois de ter começado o encontro no banco de suplentes.