Portugal
Arouca venceu fora o Leixões e Arsénio voltou a ser decisivo
Redação
2021-02-06 22:55:00
Avançado dos forasteiros volta a apontar o golo que decide a partida

O Arouca venceu hoje fora o Leixões, por 1-0, num jogo da 19.ª jornada da II Liga em que o avançado Arsénio voltou a ser decisivo, ao marcar o golo do triunfo, tal como na ronda anterior.

O Leixões perdeu pela primeira vez desde que José Mota assumiu o comando técnico da equipa, depois de três vitórias e dois empates que tiraram a equipa dos últimos lugares da classificação e a levaram até ao 10.º posto, que mantém, com 22 pontos.

O Arouca, que na jornada anterior vencera o líder do campeonato, Estoril Praia, também por 1-0, conserva a sexta posição, mas agora com 30 pontos.

O golo surgiu aos 15 minutos. Pedro Moreira serviu bem Arsénio e este, na meia esquerda, desembaraçou-se de um adversário, desferiu um remate colocado e obteve um golo de belo efeito numa altura em que a equipa de Armando Evangelista estava melhor no jogo.

O Leixões lançou o primeiro ataque e ficou-se por aí porque o Arouca reagiu rapidamente com um remate potente de André Silva, que o guarda-redes Beto desviou para canto e minutos depois marcou através de Arsénio, reforço de inverno que vai com três golos seguidos pela sua nova equipa.

Nenê aproveitou uma sobra na área adversária, na sequência de um canto, e alvejou a baliza de Victor Braga, que estava atento e defendeu com segurança.

Beto quase ofereceu o segundo golo ao Arouca, aos 24 minutos, numa intervenção fora da baliza fracassada, mas o Leixões também podia ter marcado por Brendon Lucas, aos 28, e por Bruno Monteiro, aos 32, e Victor Braga evitou o empate com aos 39 desviando a bola para a barra.

Depois de uma primeira parte equilibrada, o Arouca dominou o jogo no segundo tempo e o Leixões sentiu claras dificuldades para ligar o seu futebol e sair para o ataque, tendo sentido muito as ausências do lateral direito Edu Machado, que acusou covid-19 na sexta-feira, e dos lesionados Rafael Furlan e Kiki.

Os visitantes ganharam claramente a batalha a meio-campo, com Leandro Siva e Pedro Moreira esclarecidos no meio campo e Ofori a criar muitos problemas aos médios leixonenses devido à sua velocidade, mobilidade para transportar a bola.

O Leixões foi uma equipa sem ideias e, sobretudo depois do intervalo, submetida a forte pressão, para a qual não encontrou antídoto válido e isso prejudicou as suas ambições. A equipa trabalhou e lutou, mas faltou-lhe o discernimento ante a boa organização do Arouca.