Portugal
Arouca refere que declaração de insolvência é "consequência natural" do processo
2020-11-12 21:00:00
Tribunal da Comarca de Aveiro define prazo de 30 dias para a reclamação de créditos

O Arouca, da II Liga, esclareceu hoje que o Processo Especial de Revitalização “correu nos trâmites normais de direito” e que a “declaração de insolvência é uma consequência natural dos termos do processo judicial em curso”.

Esta comunicação do clube segue-se à sentença de declaração de insolvência publicada hoje pelo Tribunal da Comarca de Aveiro, que definiu um prazo de 30 dias para a reclamação de créditos.

“Segue-se a apresentação do Processo Especial de Revitalização conforme definido e previsto na lei. O Arouca Sociedade Desportiva Unipessoal por Quotas (SDUQ) assumirá a posição processual que qualquer entidade coletiva tem que assumir em casos semelhantes”, pode ler-se no comunicado do emblema arouquense publicado nas redes sociais.

O Arouca é atualmente o quinto classificado da II Liga e recebe no dia 21 o primodivisionário Vitória de Guimarães, na terceira eliminatória da Taça de Portugal.

Tags: