Portugal
"Acredito que o Vieira é inocente. Tem havido um ataque injusto"
2020-10-29 12:30:00
Varandas Fernandes diz que ataques ao presidente "ferem o Benfica"

Varandas Fernandes, vice-presidente do Benfica, sai a público para apelar à união de todos os benfiquistas, agora que terminou o ato eleitoral, e defende Luís Filipe Vieira que enfrenta vários processos na justiça.

"Acredito que o presidente é inocente. Tem havido um ataque injusto que fere o Benfica. Acredito na justiça e todas as questões vão ser esclarecidas e resolvidas", afirmou Varandas Fernandes, em entrevista à Antena 1.

"Quando atacam o presidente do Benfica, atacam-me a mim, ao Benfica e a todos os benfiquistas", acrescentou ainda Varandas Fernandes, falando sobre as competências de Rui Costa, que sobe na hierarquia diretiva encarnada e passa a ser vice-presidente.

"O Rui Costa é um grande benfiquista, foi um grande atleta e é um extraordinário dirigente. Tem perfil para ser presidente do Benfica. No campo da hipótese é um bom candidato", considerou Varandas Fernandes.

Relativamente ao facto de o ato eleitoral ter decorrido sem debates na Benfica TV, Varandas Fernandes destacou que os associados tiveram outras possibilidades para se esclarecerem.

"O Benfica deve ser defendido. Todos os candidatos foram às casas do Benfica que serviram para os esclarecimentos. Houve entrevistas aos candidatos em outros canais", salientou Varandas Fernandes,

Luís Filipe Vieira foi reeleito para a presidência do Benfica, para o sexto mandato, ao somar mais votos e mais votantes, em todos os escalões, no sufrágio mais participado de sempre do clube, ocorrido na quarta-feira.

De acordo com os resultados do ato eleitoral, anunciados pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral do clube, Virgílio Duque Vieira, Luís Filipe Vieira, que lidera os ‘encarnados’ desde 2003, somou 471.660 votos (62,59%), correspondentes a 22.787 votantes (59,8%).

Nas eleições mais participadas de sempre, em que 38.102 sócios exerceram o direito de voto, para um total de 753.578 votos, o número alcançado pelo presidente ‘encarnado’ supera, em mais de uma centena o total de votantes do anterior sufrágio mais participado (22.676), que remontava à vitória de Vieira sobre Rui Rangel, em 2012.

Nos anteriores cinco atos eleitorais, Vieira tinha sido sempre eleito com uma percentagem de votos acima dos 80%, com 90,47% em 2003, frente a Jaime Antunes (7,32%) e Guerra Madaleno (0,7%), 91,74% em 2009, perante Bruno Costa Carvalho (2,71%), e 83,02% em 2012, diante Rui Rangel (13,83%). Em 2006 e 2016, quando foi candidato único, acolheu, respetivamente 95,6% e 95,52% dos votos.