Opinião
Um bom mercado de verão? Veremos
2017-08-31 14:00:00
Que lindo dia o que vemos!
Mas, como estes tempos vão,
É bom que não confiemos…
É melhor dizer que temos,
Não um dia de verão,
Mas um dia de veremos.
 
Fernando Pessoa

 

“Já viu este mercado? Está louco!”, interpela-me o vizinho no elevador, como quem faz conversa sobre o tempo. “Para hoje dão chuva... mas também já há três anos que dão o William fora do Sporting”, explica-me, antes de concluir: “bem, o dinheiro dá sempre jeito”, que é como quem diz em futebolês “ao menos é bom para a agricultura”.

­Esta quinta-feira, chegam ao fim as novelas de verão (quase todas, que há países que gostam de prolongá-las por mais uns dias) e, para já, o sol brilha em Alvalade e no Dragão. Ambas as equipas seguem 100% vitoriosas no campeonato e parecem ter-se preparado bem para a época que aí vem. Aboubakar já fez esquecer André Silva e William e Adrien não foram ainda esquecidos (até porque continuam em Alvalade no momento em que escrevo), mas a verdade é que o Sporting só contou com William num jogo e na vitória frente ao Estoril-Praia também não precisou de Adrien. Mas, como estes tempos vão, é bom que não confiemos. O último dia de mercado é pródigo em surpresas e para FC Porto e Sporting as surpresas, a acontecer, deverão ser negativas, não vá alguém lembrar-se de levar Danilo, Aboubakar ou Gelson.

Mesmo sem surpresas, o rigor do inverno poderá revelar limitações que o mês de agosto ainda não pôs a nu. O FC Porto ataca a época apenas com três centrais (Felipe, Marcano e Reyes) e três avançados (Aboubakar, Soares e Marega), o que parece curto para uma época longa, e os sportinguistas terão de rezar para que nada aconteça a Coates e Mathieu, porque André Pinto ainda não mostrou ter valor para o Sporting e Tobias já mostrou não o ter. Além disso, se Bruno Fernandes parece pronto para substituir Adrien caso este saia, Battaglia terá mais dificuldade em chegar ao nível de William. E como suplentes para o meio campo ficarão Petrovic e Mattheus Oliveira, que não deverão deixar Jorge Jesus descansado.

Convém também lembrar que, na temporada passada, muitos elogiaram as movimentações de mercado do Sporting, mas Campbell e Markovic foram uma desilusão, enquanto André Silva e, depois, Soares foram revelações no FC Porto, a que se juntaram o acerto na escolha de Felipe e o rejuvenescimento de Casillas. No Benfica, se Danilo e André Horta não estiveram à altura de compensar a saída de Renato Sanches, a necessidade aguçou o engenho de Rui Vitória para descobrir em Pizzi o melhor reforço para o meio campo. Às vezes, é das pequenas tocas que saem os grandes coelhos.

Por isso, “Veremos!”, respondo eu ao vizinho numa altura em que a porta está prestes a fechar-se.