Opinião
Faz sentido beneficiar assim os grandalhões?
2018-10-18 14:00:00
Benfica e Sporting estarão na maior.

Caros senhores da Federação e senhores dos clubes mais pequenos: pensem, por uns minutos, se acham que esta eliminatória da Taça de Portugal - sobretudo no que diz respeito às condições dadas aos três "grandalhões" do costume - tem alguma lógica. Tem? Não, não tem.

A Federação decidiu que entre o sorteio e a data dos jogos teríamos pouco mais de uma semana. Apenas uma semaninha para que estes clubes mais humildes, cujos recintos desportivos poderiam precisar de melhoramentos para receber os "grandalhões", fizessem tudo o que precisariam de fazer. Clubes que precisam de receber os grandes em casa. Vilas que precisam muito de fazer a festa ali mesmo, no sítio do costume (e que bela festa seria). Gentes que querem aquele dia de Taça ali, à porta de casa. Desta forma e com esta pressa, a Federação não ajuda nada os mais pequenos.

Sertanense e GS Loures tiveram azar, enquanto o SC Vila Real teve sorte. Uns foram obrigados a receber Benfica e Sporting fora do seu campo, outros lá se safaram, conseguindo que a iluminação ficasse pronta a tempo de receber o FC Porto. A pressa da Federação quase os entalou.

Ao contrário do Vila Real, o Sertanense, que não conseguiu, supostamente, ter um relvado perfeito (em quantos campos isso existe?) a tempo, vai ter de jogar a cerca de 100 quilómetros do seu habitat, trocando o ambiente certamente quentinho do seu campo – e um relvado de dimensões reduzidas – pelo gigantesco Municipal de Coimbra. Ambiente de Taça? Nada disso. Vai ser frio e nada familiar. E lá vai o Benfica poder jogar num campo de dimensões grandes e de relva natural. Estarão na maior.

Mais a sul, o Loures não teve grandes opções. Nem com melhoramentos aquele recinto teria condições para um jogo destes. É pena. O mais bizarro, porém, é que o clube tenha optado por jogar num campo como o do Alverca.

Pensemos: obrigar o Sporting a jogar num relvado sintético e de dimensões reduzidas seria, talvez, a única vantagem do Loures nesta eliminatória. Acontece que o clube, em vez de tentar jogar num campo com essas características, “ofereceu” ao Sporting a possibilidade de jogarem no grandinho e super natural relvado de Alverca. E não se trataria de falta de desportivismo. Tratar-se-ia de maximizar a parca probabilidade de criarem problemas ao Sporting. Um Sporting que também estará na maior.