Motores
"O pneu macio é um grande handicap para nós", lamenta Miguel Oliveira
Redação
2021-04-16 19:10:00
Piloto português lança críticas à escolha dos pneus, mas espera melhorar tempos já na qualificação do MotoGP

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) espera "melhorar" o nono lugar dos treinos livres de hoje durante a qualificação, de sábado, para o Grande Prémio de Portugal de MotoGP, terceira prova da temporada.

Em declarações aos jornalistas após a segunda sessão de treinos livres de hoje, Miguel Oliveira lamentou a dificuldade com as borrachas escolhidas pela Michelin para os pneus deste ano, que são diferentes das usadas no ano passado.

"O pneu macio é um grande handicap para nós. Somos os únicos a usar os mais duros disponíveis, que consideramos que ainda são demasiado macios para nós. A Michelin diz que a decisão foi unânime dos pilotos, quando nem todos participaram nas reuniões", frisou o almadense.

Oliveira considera que "é contraditório" terem existido "estas escolhas", mas sublinha que "os pneus são iguais para todos", pelo que resta "trabalhar" para melhorar.

No entanto, Miguel Oliveira garante que no sábado vai ser possível "melhorar" o nono lugar conseguido hoje.

"Não sei quanto, mas vamos melhorar. Esperemos que não chova durante a noite e a pista esteja melhor [do que hoje]", sublinhou.

Miguel Oliveira mostrou-se, ainda, pouco "surpreendido" com a prestação do espanhol Marc Márquez (Honda), que regressou após nove meses de lesão e cotou-se como um dos mais rápidos, terminando em sexto lugar.

"Não ficamos muito surpreendidos quando vemos o Marc ser muito competitivo no regresso à competição. Dominou a última década no MotoGP. Não seria de esperar que regressasse a meio gás e apenas para fazer número na grelha”, concluiu Miguel Oliveira.

O piloto português, vencedor da corrida disputada no Algarve em 2020, após partir da ‘pole position', ocupa, após a segunda sessão de treinos, o nono lugar, com o tempo 1.40,592 minutos, a 0,726 segundos do italiano Franscesco Bagnaia (Ducati), que foi o mais rápido.

Após duas etapas, o Mundial é liderado pelo francês Johann Zarco (Ducati), com 40 pontos, mais quatro do que o compatriota Fabio Quartararo e do que o espanhol Maverick Viñales, ambos em Yamaha. Miguel Oliveira segue no 14.º posto, com quatro pontos.

A 16.ª edição do Grande Prémio de Portugal marca o regresso à competição do espanhol Marc Márquez (Honda), após praticamente um ano de ausência devido a lesão, tendo o catalão alcançado o sexto melhor registo no primeiro dia de treinos.