Motores
"Fórmula 1 quer preencher vaga no calendário de 2021 com o GP de Portugal"
Redação
2021-02-11 17:45:00
Regresso da F1 a Portimão depende apenas do acordo com promotor

A Fórmula 1 confirmou que pretende preencher a vaga existente no calendário do Mundial de 2021 com o Grande Prémio de Portugal, tendo novamente como palco o Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão.

No calendário da Fórmula 1 para 2021 não há nenhuma prova atribuída para a data de 2 de maio. A intenção dos comissários é que nesse dia seja realizado o GP Portugal, pois a alternativa seria realizar uma segunda corrida no Bahrein.

Na memória dos comissários está o Grande Prémio de Portugal de 2020. No regresso do ‘circo’ ao nosso país, e pela primeira vez em Portimão, Carlos Sainz levou a Mclaren a liderar durante grande parte da corrida, mas foi a Mercedes quem cortou a meta, com Lewis Hamilton a atingir o recorde de 92 vitórias em provas de Fórmula 1.

A decisão dos comissários está tomada. Para que o GP Portugal de 2021 se realize falta apenas o acordo com o promotor da prova a nível nacional.

“Há novidades no espaço ‘TBC’ [‘a ser confirmado’] do atual calendário de 2021. É intenção da Fórmula 1 preencher a vaga com uma corrida em Portimão, Portugal, na data já estabelecida no calendário. O acordo final tem ainda de ser contratualizado com o promotor”, esclareceram os comissários, em comunicado.

No texto, a Fórmula 1 salientou ainda que, devido à pandemia de covid-19, a realização dos grandes prémios “poderá exigir flexibilidade”, assegurando estar “a trabalhar a todos os níveis com os governos e organizações locais para garantir que o calendário será cumprido tal como foi planeado”.

O Grande Prémio de Portugal será, ao que tudo indica, a terceira corrida de uma temporada que abre no Bahrein, a 28 de março, e segue para o GP Itália, a 18 de abril. Depois de Portimão, a Fórmula 1 atravessa a fronteira, com o GP Espanha a 9 de maio.

Caso se confirme, será o 17.º GP Portugal, segundo consecutivo, depois do regresso a território nacional em 2020 após 26 anos de ausência do Mundial.