Motores
"Foi difícil de aceitar, Miguel Oliveira podia ter feito uma grande corrida"
Redação
2021-04-05 19:00:00
Mike Leitner destaca "aquele arranque" do piloto da KTM e explica problema técnico

O arranque inacreditável de Miguel Oliveira no Grande Prémio de Doha continua a centrar as atenções no mundo do MotoGP. O piloto da KTM partiu do 12.º lugar da grelha e chegou ao início da primeira curva no terceiro posto. No entanto, um problema técnico impediu Miguel Oliveira de manter a prestação, vindo a terminar a segunda prova do Mundial no 15.º lugar.

Ainda assim, a exibição do piloto português causou surpresa até dentro da própria equipa. Mike Leitner, o diretor de equipa da Red Bull KTM Factory Racing, confessou que viu poucos “arranques como aquele” a que assistiu no circuito de Losail, no Qatar. No entanto, Miguel Oliveira seria afetado por uma falha no “display”, tornando “difícil de aceitar” a forma como o piloto se viu incapaz de lutar pelos lugares cimeiros.

“Trabalhámos muito em todas as sessões para encontrar uma afinação e fomos capazes de melhorar face ao último fim de semana aqui em Losail. O Miguel teve um problema técnico com o display e foi difícil de aceitar, porque podia ter feito uma grande corrida depois do arranque que fez. Não vi muitos arranques como aqueles no MotoGP... Isso mostra potencial. Agora é seguir em frente”, comentou Mike Leitner, antecipando já o Grande Prémio de Portugal de MotoGP, a terceira prova da temporada e cuja edição de 2020 foi ganha por Miguel Oliveira, então ao serviço da Tech3, a formação secundária da KTM.

Depois de partir como um ‘míssil’, Miguel Oliveira foi incapaz de acompanhar o andamento dos favoritos e foi perdendo posições, volta após volta, acabando a segunda prova do mundial no 15.º lugar. O começo da prova do piloto de Almada mereceu destaque da realização, que assinalou o feito do português.