Modalidades
“Por Quintana”, Portugal consegue apuramento olímpico inédito em andebol
Redação
2021-03-14 22:05:00
Seleção nacional derrota a França, vice-campeã olímpica, com golo no último segundo

A seleção portuguesa de andebol alcançou hoje o feito inédito de se qualificar para os Jogos Olímpicos, ao ganhar por 29-28 à anfitriã França, em Montpellier, com um golo no último segundo do jogo por Rui Silva.

Numa partida em que estava obrigado a vencer os vice-campeões olímpicos para garantir o apuramento, Portugal entrou mal, esteve a perder por seis golos, aos 7-2 e 9-3, mas recuperou e validou a sofrida qualificação para Tóquio2020 no último segundo.

‘Por Portugal e por ti’, numa referência ao malogrado Alfredo Quintana, que morreu em 26 de fevereiro na sequência de uma paragem cardiorrespiratória, foi o lema que orientou os ‘heróis do mar’ na superação de todas as adversidades.

"Antes de mais, digo-vos já que não conseguimos isto sozinhos. Quero agradecer também ao Quintana. Estes jogadores são realmente pessoas, guerreiros. Houve ali um momento em que foi difícil gerir a situação. Tivemos de ter alguma sorte", adiantou o selecionador nacional, Paulo Jorge Pereira.

“Sinto um orgulho enorme nesta seleção, neste grupo, nestes jogadores. Eles foram heróis do mar, heróis da terra, heróis do pavilhão, heróis de tudo. Ultrapassaram grandes dificuldades, algumas de caráter muito emotivo, como todos sabem, e outras de outra natureza. Mas com seriedade, trabalho e ambição estas coisas conseguem-se”, comentou o presidente da Federação Portuguesa de Andebol, Miguel Laranjeiro.

O apuramento olímpico “tem muito do nosso Alfredo Quintana”, salientiou o dirigente, citado pelo jornal O Jogo: “Ele esteve sempre connosco e é pelo nosso Quintana que vamos a Tóquio. Este é um momento importante e histórico para o andebol português, mas também para todo o nosso desporto em geral”.

“Podemos, com este trabalho que estamos a fazer, estar a criar uma mudança. Demo-nos ao respeito e os outros têm de passar a olhar para nós como uma seleção de qualidade, de seriedade, de caráter. Tivemos que ultrapassar a injustiça de ontem e hoje fazer justiça. Os jogadores superaram-se, foi evidente e houve alguém lá em cima a olhar por nós e a ajudar a que se fizesse justiça e fossemos a Tóquio”, concluiu Miguel Laranjeiro.

Portugal e França são as seleções do segundo torneio pré-olímpico que avançam para Tóquio2020, cabendo ao andebol nacional o papel de ser a primeira modalidade de pavilhão a marcar presença nos Jogos.