Modalidades
"Jorge Mendes que fique em Portugal e que não se meta connosco"
Redação
2021-01-10 15:10:00
Dono da Groupama-FDJ incomodado com o acordo assinado entre a Corso Sports e o agente português

Marc Madiot admitiu este sábado ter ficado incomodado com o acordo assinado entre Jorge Mendes e a Corso Sports, agência que gere as carreiras de ciclistas como João Almeida e Rúben Guerreiro, sensações da última edição da Volta a Itália. 

Em entrevista à estação francesa RMC Sport, o dirigente questionou as consequências da modalidade entrar no “sistema do futebol” e pôs em causa os interesses por detrás da nova aposta do agente português. 

“Qual é o sistema dos agentes de futebol? É formar portfólio de jogadores e fazê-los movimentar o mais possível para gerar o máximo de dinheiro possível. Estamos a fazer especulação na bolha financeira. É uma bolha financeira onde o futebol se encontra hoje em dia, com tudo aquilo que se está a passar”, começou por dizer. 

“E a Covid-19? O que vai acontecer? Estão à beira do precipício. Agora queremos deixar pessoas como Jorge Mendes entrar no ciclismo? Não quero ver pessoas como Mendes no ciclismo. Ele que fique em Portugal, com os seus jogadores e não se meta connosco”, atirou. 

De acordo com a RMC Sport, Marc Madiot suspeita que o agente português “oculte uma agenda” em segredo o tempo necessário até chegar ao seu objetivo. 

“Ele não vai ganhar no ciclismo o que ganha no futebol. Podem haver ideias em segundo plano que não são boas. Acho que, em algum ponto, se quer apropriar do sistema geral do ciclismo. Aqui é ainda mais perigoso”, rematou.