Modalidades
COP considera que normas europeias impedem adulteração do modelo desportivo
Redação
2021-04-20 14:30:00
José Manuel Constantino fala em "inaceitável oligopólio do futebol"

O presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), José Manuel Constantino, defendeu hoje que as normas europeias são suficientemente claras e impedem a adulteração do modelo desportivo para uma estratégia de negócio, manifestando-se contra a Superliga europeia.

“As organizações desportivas têm a obrigação de se adequarem aquilo que são as normas europeias e essas são suficientemente claras para impedirem estes novos exercícios de completa adulteração daquilo que é o modelo europeu de desporto e de inaceitável oligopólio do futebol sobre esse modelo”, vincou à agência Lusa José Manuel Constantino.

O responsável do COP entende que deve prevalecer o modelo europeu do desporto que se baseia no mérito desportivo e não numa estratégia de negócio.

Para o dirigente, “o princípio europeu do desporto é construído em torno do mérito desportivo e não do mérito financeiro” como pretende ser a recentemente criada Superliga europeia.

Segundo José Manuel Constantino, quer as leias nacionais, quer as europeias, “impedem de todo a realização de competições desportivas na base da estrutura estritamente de negócio”.