Grande Futebol
No primeiro Lille de Bielsa, Edgar Ié foi totalista e a equipa já encantou
2017-07-16 12:50:00
Marcelo Bielsa foi a jogo com um conjunto jovem mas já se viu futebol de qualidade. Ié fez os 90 minutos, Xeka fez 45

Com seis campeonatos de França conquistados e duas chegadas à final da Taça dos Campeões Europeus nos anos 50, bem como duas Taças de França, uma Taça da Liga e cinco Supertaças de França, é justo dizer que o Stade Reims é um dos mais bem sucedidos clubes franceses da história do futebol do país. Um clube que teve Just Fontaine ou Raymond Kopa como as suas principais figuras e por onde passaram também nomes como Carlos Bianchi, por exemplo. Pelo Reims, Bianchi, fez mesmo 115 golos em 142 encontros.  

Seria justo dizer que quando Lille e Stade Reims se defrontam, seriam os últimos a deter o favoritismo à vitória final. Mas o futebol não é linear, nem vive de história. Ou da história. Por esta altura, o Stade Reims é um clube que passa mais tempo nas divisões secundárias francesas que junto dos principais clubes do país. Ao contrário do Lille, por exemplo, que, curiosamente, era igualmente uma das forças do futebol francês nos anos 50, com um título e dois vice campeonatos durante tal década. Hoje, porém, enquanto o Reims procura reencontrar-se com as glórias do passado, o Lille continua a gozar de um estatuto de excelência no futebol francês - tendo mesmo conquistado o título gaulês em 2011.  

O Lille, contudo, não só encerra um interesse particular pela sua história recente ou, ainda, pela relevante presença portuguesa com a qual conta nesta altura mas, principalmente, por ser o novo clube de Marcelo Bielsa. O treinador argentino, apesar de uma aparente falta de títulos relevantes no currículo, cimentou o seu lugar na história do futebol servindo de corrente filosófico-futebolística para tantos outros treinadores. Se há técnico influente no Mundo e que tantos procuram replicar, esse, é Marcelo Bielsa. Até o estádio do Newell's Old Boys tem o seu nome.  

E foi precisamente perante o Stade Reims que o Lille, o novo Lille, o Lille de Marcelo Bielsa, deu o pontapé inicial na sua temporada. A vitória por 2-0, da equipa de Marcelo Bielsa, chegou de França, via imprensa, como uma vitória impressionante da equipa do Lille e na qual já se vislumbraram algumas movimentações típicas de uma equipa bielsista, particularmente, numa primeira parte de inspiração e encanto. A imprensa francesa destaca principalmente o envolvimento de Luiz Araujo e Thiago Mendes no futebol da equipa do Lille, com Luiz Araujo a ter sido considerado a figura de maior destaque neste primeiro Lille de Marcelo Bielsa.

Se Edgar Ié e Fernando Santos poderão vir a agradecer no futuro o trabalho realizado pelo defesa português com Bielsa, ficará, o selecionador português, feliz por saber que Ié realizou os noventa minutos do encontro do Lille perante o Reims. E se o técnico argentino habituou o Mundo do futebol com alguns sistemas táticos exóticos ao longo da carreira, na estreia no banco do Lille – sem geladeira por perto -, o pontapé de saída do clube francês foi dado com cautela e tradicionalismo. Perante o Reims, Bielsa escalonou o seu Lille em 4-2-3-1, um sistema que já usara predominantemente em 2014/15 ao serviço do Marselha. Já Xeka, médio contratado ao Sporting Braga, entrou ao intervalo para o lugar de Rominigue Koamé.  

O futebol do Lille foi particularmente agradável e fluido na primeira metade da partida, com movimentações e uma pressão constante que levaram mesmo o L'Équipe a pedir mais do mesmo ao longo da temporada. Chegou ao golo aos 25 minutos por Luiz Araujo numa dessas boas movimentações coletivas (um envolvimento bem sucedido com De Préville), num jogo que ficou marcado pelas boas indicações deixadas pelas várias contratações do clube. Já na segunda metade, e poucos minutos depois de ter entrado em campo, Ezequiel Ponce, selou o resultado final e estabeleceu o 2-0 no marcador. Ambos Rosarinos, o Lille promete tornar-se num dos clubes mais apoiados em Santa Fé na Argentina.  

Quanto a Bielsa, quem esperava um "El Loco" exuberante terá de aguardar por novas oportunidades. A imprensa francesa destacou a postura sóbria e quase inexpressiva de Bielsa desde a chegada ao estádio Gerárd Houllier, até ao apito final. Acenos tímidos aos adeptos depois de uma saída do autocarro com os olhos no chão poucos minutos antes do apito inicial da partida. Farès Balhouli foi o porta voz da equipa no final da partida. Ao L'Équipe, confirmou nunca ter trabalhado com alguém como Bielsa, com a visão do treinador argentino que definiu como um perfeccionista. Sessões de treino intensas de forma a que a equipa aguente a intensidade pretendida e muito trabalho com e sem bola têm sido as características chave da pré temporada bielsista em Lille. Perante o Reims, Bielsa apostou na juventude, levando a jogo uma equipa a rondar os 22 anos de média de idades. 

Revolução profunda com base na juventude

O Lille tem sido nas últimas semanas um dos clubes que mais agitaram o mercado francês. Sem surpresa, a equipa de Bielsa renovou-se e foi revolucionada de forma a que o argentino pudesse encaixar peças perfeitas neste seu novo puzzle. Foram já onze as contratações feitas pelos Dogues, num investimento que ultrapassa já os cinquenta milhões de euros. Curioso é também o facto deste novo Lille não ter contratado qualquer jogador acima dos 25 anos. Afinal, a intensidade é uma imagem de marca do futebol bielsista.