Grande Futebol
"Não pensei que Salah fosse tão bom. Acho que nem ele via isso", diz Klopp
2019-09-23 17:30:00
Técnico rendido a Mo Salah

Mohamed Salah aterrou em Liverpool há duas épocas para iniciar a segunda experiência na Premier League. Depois da passagem pelo Chelsea, o egípcio destacou-se em Itália, primeiro na Fiorentina e depois na Roma, o que levou os 'reds' a pagar cerca de 40 milhões de euros pelos seus serviços. 

Daí para cá a história é contada em números: são 44 golos na primeira época - 34 só na Premier League -, 27 na segunda, numa campanha que acabou com a conquista da Liga dos Campeões, e quatro já nesta temporada, que ajudam o Liverpool a liderar o campeonato de forma isolada. 

Mas será que Jurgen Klopp, técnico dos 'reds', acreditava que o avançado conseguisse ter tanto impacto? 

"Não, claro que não pensei que ele fosse tão bom. Acho que nem ele via isso, mas as coisas são assim", respondeu o alemão, em entrevista ao 'Liverpool Echo'. "Todos temos os nossos sonhos e o Mo, garanto, sonha alto e quer alcançar muito. A forma como jogamos favorece-o, o estatuto que tem desde o primeiro dia também. Era diferente para ele nos outros anos, nem temos de falar no Chelsea. Jogava num papel diferente na Roma, onde tinha Dzeko ao lado dele, que era o homem decisivo, e a quem dava a bola". 

"Não vimos que ele iria marcar 44 golos, mas vimos que ele nos poderia ajudar e isso é o mais importante. Estou muito contente por ele e ele está feliz por nós. Precisamos de alguma sorte nas transferências e nós tivemo-la", acrescentou. 

No entanto, Jurgen Klopp não esquece que o mérito de Salah é também fruto dos companheiros de ataque, Firmino e Mané. 

"Em Barcelona é o Lionel Messi, mas nós não somos uma dessas equipas, não temos esses jogadores. Portanto o Salah preenche um papel que não tínhamos no momento, com os 'cavalos de trabalho' à volta dele, o Bobby (Roberto Firmino) e o Sadio (Mané). É uma linha ofensiva bastante boa", afirmou.