Grande Futebol
"Mendes representou FC Porto, Sérgio Oliveira e o treinador. Não é aceitável"
2021-07-01 20:55:00
Dono da Fiorentina denuncia “conflito de interesses” na abordagem ao médio português

O dono da Fiorentina, Rocco Commisso, denunciou o “conflito de interesses” que encontrou ao tentar contratar Sérgio Oliveira, médio do FC Porto que é representado por Jorge Mendes, o mesmo agente de Gattuso, o ex-treinador que tinha pedido... Sérgio Oliveira.

“Há muitos conflitos de interesses no futebol. Vou dar o exemplo, relativo ao caso de Sérgio Oliveira: o agente dele [Jorge Mendes] representou o FC Porto, o jogador e o treinador Gattuso”, afirmou.

“Isso não é aceitável, não me parece aceitável que eu tenha de negociar numa situação destas. Mesmo que os custos fossem justos. Alguma coisa tem de ser feita”, insistiu Rocco Commisso, em declarações ao podcast da Fiorentina.

O comentário surgiu quando o dono do clube justificava a contratação de Nico González, avançado que representava o Estugarda.

“Falou-se de um tal Sérgio Oliveira, que viria do FC Porto. O custo do Nico González era de 40,7 milhões de euros, enquanto o do Sérgio Oliveira era de 44,5 milhões”, referiu, explicando as contas.

“No caso de Nico González, se falarmos do custo da transferência e todos os outros custos incluindo comissões, estamos a falar de 29 milhões de euros. Depois, há o salário, cerca de dois milhões brutos por ano, um total de 11,7 em cinco anos. Falamos de 40 milhões no espaço de cinco anos para um jovem de 23 anos”, apontou.

“No caso de Sérgio Oliveira, que tinha sido apresentado por Jorge Mendes, era um custo de transferência de 20 milhões, mais outros relativos a comissões, totalizando um mínimo de 22 milhões. Mas o salário era quase o dobro para um jogador de 29 anos, 22,5 milhões de euros em cinco anos”, comparou Rocco Commisso.

“Daqui a cinco anos o Nico vai ter 28 anos, o Sérgio 34. Não conseguiríamos ter qualquer retorno”, concluiu o dono da Fiorentina.

Recorde-se que o treinador Gennaro Gattuso deixou a Fiorentina 23 dias depois de ter sido anunciado. Segundo a imprensa italiana, o técnico ‘bateu com a porta’ após o clube recusar contratar alguns jogadores que tinha indicado, como Sérgio Oliveira.