Grande Futebol
Irlanda trava Sérvia e 'dá' liderança isolada a Portugal
2021-09-08 09:05:00
Sérvia ‘tropeçou’ por culpa própria em Dublin

A Sérvia, principal adversária da seleção portuguesa no grupo A de qualificação para o Mundial2022 de futebol, empatou na República da Irlanda e permitiu a Portugal, que venceu no Azerbaijão, isolar-se na liderança, numa jornada sem surpresas.

Se Portugal cumpriu a sua obrigação ao vencer no Azerbaijão, por 3-0, num jogo em que a equipa conseguiu fluir melhor o seu jogo, sem Cristiano Ronaldo, a cumprir castigo disciplinar, já a Sérvia ‘tropeçou’ por culpa própria em Dublin.

A seleção sérvia chegou cedo ao golo, por Milinkovic-Savic, logo aos 20 minutos, ao desviar de cabeça ao primeiro poste um pontapé de canto, mas foi ‘adormecendo’ na segunda parte, o que deu ‘gás’ à seleção irlandesa, que acreditou que podia chegar ao empate nos últimos minutos, com o espírito guerreiro que caracteriza os seus jogadores.

Ironia do destino, seria o médio da Lazio, de Itália, autor do primeiro golo, a estar na origem do tento irlandês, ao tentar aliviar uma sobra de um cruzamento para a sua área, chutando à ‘queima-roupa’ contra o corpo do seu colega Nikola Milenkovic, que fez autogolo aos 87 minutos.

Quem agradeceu foi Portugal, que horas antes fez uma exibição que lhe permitiu ganhar tranquilamente em Baku, por 3-0, com golos de Bernardo Silva, André Silva e Diogo Jota, aos 26, 31 e 75 minutos, respetivamente, e isolar-se na liderança do grupo A, com 13 pontos.

A Sérvia caiu para segundo lugar, com 11 pontos, seguida do Luxemburgo, com seis (menos um jogo), da República da Irlanda, com dois, e do Azerbaijão, com um.

No grupo D, a superfavorita França quebrou a mini-série de dois empates consecutivos (com a Bósnia e Herzegovina, fora, e Ucrânia, em casa) e venceu na receção à Finlândia, graças a dois golos de Antoine Griezmann, aos 25 e 54 minutos, reforçando a liderança e deixando já a distância significativa os seus rivais, enquanto a Bósnia e Herzegovina cedeu um empate em casa a dois golos perante o Cazaquistão.

A seleção gaulesa lidera com 12 pontos, em seis jogos, seguida da Ucrânia, com cinco (5), da Finlândia, também com cinco (4), da Bósnia Herzegovina, com três (4) e do Cazaquistão, igualmente com três (5).

Surpreendente foi a goleada dos Países Baixos à Turquia, por 6-1, no grupo G, quando se esperava um jogo bem mais equilibrado, mas a ‘laranja’ hoje foi mesmo ‘mecânica’ e ‘atropelou’ a seleção turca, que jogou toda a segunda parte com menos um jogador por expulsão do central Caglar Soyuncu, dos ingleses do Leicester, aos 44 minutos, por acumulação de amarelos.

No entanto, bem antes dessa expulsão, já os holandeses tinham marcado três golos, por Klaassen, no primeiro minuto, e Memphys Depay, que ‘bisou’, aos 16 e 38, numa demonstração de superioridade categórica.

Nos outros jogos do grupo, a Noruega goleou Gibraltar por 5-1, como se esperava, e Montenegro não foi além de um nulo na receção à Letónia.

Em resumo, os Países Baixos seguem na liderança com 13 pontos, os mesmos da Noruega, cuja diferença entre golos marcados e sofridos lhe é desfavorável comparativamente ao seu rival, seguido da Turquia, com 11, de Montenegro, com oito, da Letónia, com cinco, e de Gibraltar, com zero.

No grupo H, a Croácia confirmou o seu favoritismo ao receber e vencer a Eslovénia, por 3-0, a Rússia ‘cumpriu os mínimos’ ao vencer por 2-0 na receção a Malta e a Eslováquia bateu em casa Chipre, por 2-1.

A seleção croata lidera com 13 pontos, seguida da Rússia, com os mesmos pontos, da Eslováquia, com nove, da Eslovénia, com sete, de Malta e de Chipre, ambos com quatro.

Finalmente, no grupo F, a Dinamarca goleou a congénere de Israel por 5-0, números um pouco surpreendentes em função da evolução do futebol israelita nos últimos anos, e só não está matematicamente apurada para o Mundial, porque tem o caminho desbravado para lá chegar.

Nos outros jogos de hoje, a Áustria foi surpreendida em casa pela Escócia, duas seleções que lutam pelo segundo lugar, com Israel, que dá acesso ao ‘play-off’ por uma vaga na fase final, ao perder por 1-0, graças a um golo do avançado Lyndon Dykes, do Queens Park Rangers, da segunda divisão inglesa, aos 30 minutos, enquanto as Ilhas Faroé receberam e venceram a Moldávia, por 2-1.

Voltando às contas do grupo, a Dinamarca segue imparável na frente com 18 pontos, seguida da Escócia, com 11, de Israel, com 10, da Áustria, com sete, das Ilhas Faroé, com quatro, e da Moldávia, com um.