Grande Futebol
“Há em Portugal pessoas que detestam Ronaldo. Deviam lamber o chão que ele pisa”
Redação
2021-03-29 18:40:00
Fernando Mendes não compreende críticas. E lembra Maradona, idolatrado em toda a Argentina, sem exceções 

O momento de frustração de Cristiano Ronaldo, que atirou a braçadeira no final do jogo entre Portugal e Sérvia, depois de ver invalidado um golo que daria o triunfo à formação das quinas, merece total compreensão de Fernando Mendes. O antigo futebolista é menos compreensivo relativamente a um sentimento que imputa a alguns ex-jogadores e treinadores portugueses. 

“Faz-me confusão ver determinadas pessoas, ex-jogadores de futebol, ex-treinadores, a arrasar completamente Cristiano Ronaldo, quando deviam lamber o chão onde ele pisa”, afirma Fernando Mendes, num espaço de comentário na CMTV, onde falou de “inveja” pela carreira do capitão português. 

“São invejosos. Chamo-lhes invejosos. O nosso problema é esse: a inveja pelo sucesso dos outros. O português é muito assim. Ronaldo é um exemplo. É um dos melhores de todos os tempos. É o melhor jogador português de sempre. Crucificá-lo? Por amor de Deus...”, salientou o antigo defesa. 

Fernando Mendes faz um paralelo entre Cristiano Ronaldo e Maradona. E manifesta surpresa pelo facto de um ser idolatrado na Argentina, enquanto o outro gera resistências em Portugal. 

“Maradona. Um jogador fantástico. O homem fazia porcaria atrás de porcaria. E todos os argentinos amam o homem...  E nós, aqui em Portugal, temos uma franja de pessoas que detestam Cristiano Ronaldo. Mas ele é português”, enfatiza o ex-futebolista. 

Mas Fernando Mendes vai mais longe e considera que Ronaldo transporta a seleção nacional aos ombros: “Ele é um exemplo para todos nós, é um orgulho para todos nós. Se Portugal é conhecido podem agradecer a este senhor”. 

“Por isso é que eu digo: alguns ex-jogadores de futebol, alguns ex-treinadores, deveriam lamber o chão onde ele pisa. Deviam ter vergonha na cara. Até porque, como ex-profissionais de futebol, não foram exemplo para ninguém. Para ninguém! Deviam ter vergonha de dizer certas coisas”, completa Mendes. 

Numa análise ao gesto do capitão da seleção, Fernando Mendes condena, mas sem crucificar: “Condeno o que ele fez. Não se faz. Mas por amor de Deus. Tenham vergonha na cara. 

Cristiano Ronaldo não deveria ser castigado. Foi um gesto pontual. Não digo que não foi feio. Não devia ter feito, Mas Cristiano Ronaldo, como jogador, é um exemplo. É a nossa bandeira”, conclui Fernando Mendes. 

A controvérsia teve origem no lance que daria o 3-2 a Portugal, no jogo diante da Sérvia, que terminou empatado a dois golos. Quando o árbitro terminou o encontro, minutos depois daquele que seria o terceiro tento da seleção, Ronaldo atirou a braçadeira, manifestando frustração. 

Rapidamente surgiram críticas ao gesto, pelo simbolismo da braçadeira. Fernando Mendes não embarca nessas palavras e desculpa a atitude de Ronaldo, que, na opinião do ex-futebolista, é perfeitamente compreensível.